Sucesso! A nave espacial Hope dos Emirados Árabes Unidos acaba de entrar na órbita marciana

0
201
(Créditos: ESA/MPS/Equipe OSIRIS/UPD/LAM/IAA/RSSD/INTA/UPM/DASP/IDA/CC BY-SA 3.0 IGO)

Traduzido por Julio Batista
Original de Dana Moukhallati (AFP) para o ScienceAlert

A sonda “Hope” dos Emirados Árabes Unidos na segunda-feira entrou com sucesso na órbita de Marte, fazendo história como a primeira missão interplanetária do mundo árabe.

A sonda foi projetada para revelar os segredos do clima marciano, mas os Emirados Árabes Unidos também querem que sirva de inspiração para a juventude da região.

“Ao povo dos Emirados Árabes Unidos, às nações árabes e muçulmanas, anunciamos a chegada bem-sucedida à órbita de Marte. Louvado seja Deus”, disse Omran Sharaf, gerente de projeto da missão.

Oficiais no controle da missão aplaudiram, visivelmente aliviados depois de um período de tensão de meia hora quando a sonda teve um pequeno problema para diminuir a velocidade o suficiente para ser puxada pela gravidade marciana, tido como a fase mais perigosa da viagem.

“Sucesso! O contato com a sonda Hope foi estabelecido novamente. A inserção da órbita de Marte está concluída. #ArabsToMars”, anunciou a conta oficial da missão no Twitter.

Hope é a primeira de três espaçonaves a chegar ao Planeta Vermelho neste mês, depois que a China e os Estados Unidos também lançaram missões em julho, aproveitando um período em que a Terra e Marte estão mais próximos.

O empreendimento dos Emirados Árabes Unidos também está programado para marcar o 50º aniversário da unificação dos sete emirados do país.

“O que vocês conquistaram é uma honra para vocês e uma honra para a nação. Quero parabenizá-los”, disse o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, o xeque Mohammed bin Zayed, após entrar na sala de controle.

A sonda, chamada “Al-Amal”, palavra árabe para “Esperança” – ou “Hope” em inglês – girou e disparou todos os seis de seus poderosos propulsores para reduzir drasticamente sua velocidade média do voo de cruzeiro de 121.000 quilômetros por hora para cerca de 18.000 km/h.

Representação artística do orbitador Hope em torno de Marte. (Créditos: Agência Espacial dos EAU)

Conforme o relógio marcava o horário da entrada na órbita, o Burj Khalifa de Dubai, a torre mais alta do mundo, iluminou-se em vermelho com luzes laser azuis e irrompeu em um show de luzes e imagens das notícias do sucesso da missão.

Marcos em todo o estado do Golfo foram iluminados em vermelho à noite e contas do governo e carros de patrulha da polícia divulgaram e estamparam a hashtag #ArabstoMars.

Os Emirados Árabes Unidos também projetaram esta semana no céu noturno de Dubai imagens das duas luas de Marte – Fobos e Deimos – para permitir que os residentes “vejam o que a sonda vê”.

Objetivo maior

Embora a sonda seja projetada para fornecer uma imagem abrangente da dinâmica climática do planeta, é também um passo em direção a uma meta muito mais ambiciosa – construir um assentamento humano em Marte dentro de 100 anos.

E além de consolidar seu status como um ator regional importante, os Emirados Árabes Unidos também querem engajar os jovens em uma região frequentemente devastada por conflitos sectários e crises econômicas.

“Este projeto significa muito para a nação, para toda a região e para a comunidade científica e espacial global”, disse Sharaf à AFP antes do lançamento.

“Não se trata de chegar a Marte; é uma ferramenta para um objetivo muito maior. O governo queria ver uma grande mudança na mentalidade da juventude dos Emirados… para acelerar a criação de um setor de ciência e tecnologia avançada nos Emirados Árabes Unidos.”

O rico estado do Golfo agora se torna a quinta entidade espacial a chegar a Marte, com a missão da China devendo se tornar a sexta nessa quarta-feira.

Apenas os EUA, Índia, a ex-União Soviética e a Agência Espacial Europeia alcançaram com sucesso o Planeta Vermelho no passado.

“Como uma nação jovem, é um orgulho especial estarmos agora em uma posição de dar uma contribuição tangível sobre a compreensão de Marte pela e para a humanidade”, disse Sarah al-Amiri, a ministra dos Emirados Árabes Unidos de 34 anos que é uma das motivadoras por trás do projeto.

“Hope” orbitará o planeta Vermelho por pelo menos um ano marciano, ou 687 dias, usando três instrumentos científicos para monitorar a atmosfera marciana.

Espera-se que a sonda comece a transmitir informações de volta à Terra em setembro de 2021, com os dados disponíveis para estudos de cientistas de todo o mundo.

Ao contrário dos outros dois empreendimentos marcianos, o Tianwen-1 da China e o Perseverance do Mars 2020 dos Estados Unidos, a sonda dos Emirados Árabes Unidos não pousará no Planeta Vermelho.

“Cara @HopeMarsMission, parabéns por chegar a Marte!”, publicou a conta do Perseverance da NASA no Twitter, citando as palavras do grande poeta do século 10, Al Mutanabbi.

“Se você se aventurou em busca da glória, não fique satisfeito com menos do que as estrelas.”

© Agence France-Presse