Parece que os Emirados Árabes Unidos estão prestes a vencer a corrida para Marte

0
84
(Créditos: Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos)

Por Dana Moukhallati
Publicado na ScienceAlert

A primeira missão espacial árabe, a sonda “Hope” dos Emirados Árabes Unidos, deve chegar à órbita de Marte em 9 de fevereiro, sendo a primeira de três espaçonaves a chegar ao Planeta Vermelho neste mês.

Emirados Árabes UnidosChina e Estados Unidos lançaram projetos em Marte em julho passado, aproveitando um período em que a Terra e Marte estão mais próximos.

Se for bem-sucedido, o rico estado do Golfo se tornará a quinta nação a chegar a Marte – um empreendimento programado para marcar o 50º aniversário da unificação dos Emirados Árabes Unidos – com a missão da China devendo se tornar a sexta no dia seguinte.

Marcos históricos em todos os Emirados Árabes Unidos foram iluminados em vermelho à noite e as contas governamentais divulgaram a hashtag #ArabstoMars. No grande dia, o Burj Khalifa de Dubai, a torre mais alta do mundo, estará no centro de um show comemorativo.

Hope, conhecida como “Al-Amal” em árabe, orbitará o planeta por pelo menos um ano marciano, ou 687 dias, enquanto o robô Tianwen-1 da China e o rover Perseverance do Mars 2020 dos Estados Unidos pousarão na superfície de Marte.

Apenas os EUA, Índia, a ex-União Soviética e a Agência Espacial Europeia alcançaram com sucesso o Planeta Vermelho no passado.

Manobra arriscada

Depois de decolar do Japão em julho do ano passado, a missão Hope agora enfrenta sua manobra “mais crítica e complexa”, de acordo com oficiais dos Emirados, com uma chance de 50-50 de entrar com sucesso na órbita de Marte.

A espaçonave deve diminuir a velocidade significativamente para ser capturada pela gravidade marciana, girando e disparando todos os seis de seus propulsores Delta-V por 27 minutos para reduzir sua velocidade do voo de cruzeiro de 121.000 quilômetros por hora para cerca de 18.000 km/h.

O processo, que consumirá metade do combustível, terá início na terça-feira, 9 de fevereiro, às 15:30 GMT (12:30, no horário de Brasília), e levará 11 minutos para que um sinal de andamento chegue ao controle de solo.

Omran Sharaf, o gerente de projeto da missão nos Emirados Árabes Unidos, disse que foi uma “grande honra” ser a primeira das missões deste ano a chegar a Marte.

“É uma honra estar em uma campanha tão auspiciosa e habilidosa enquanto embarcamos em nossas missões”, disse ele. “Nunca foi uma corrida para nós. Abordamos o espaço como um esforço colaborativo e inclusivo.”

Embora a sonda Hope seja projetada para fornecer uma imagem abrangente da dinâmica climática do planeta, é também um passo em direção a uma meta muito mais ambiciosa – construir um assentamento humano em Marte dentro de 100 anos.

Ao mesmo tempo em que a nação cimenta seu status de ator regional importante, os Emirados Árabes Unidos também querem que o projeto sirva como fonte de inspiração para a juventude árabe, em uma região frequentemente devastada por conflitos sectários e crises econômicas.

Hope usará três instrumentos científicos para monitorar a atmosfera marciana e deve começar a transmitir informações para a Terra em setembro de 2021, com os dados disponíveis para estudos de cientistas de todo o mundo.

Logo atrás

O Tianwen-1 da China já enviou de volta sua primeira imagem de Marte – uma foto em preto e branco que mostrava características geológicas, incluindo a cratera Schiaparelli e os Valles Marineris, uma vasta extensão de desfiladeiros na superfície marciana.

O sistema de cinco toneladas inclui um orbitador de Marte, um módulo de pouso e um rover movido a energia solar que estudará por três meses o solo e a atmosfera do planeta, tirará fotos, mapeará regiões e procurará por sinais de vida do passado.

A China espera pousar o veículo espacial de 240 quilos em maio na Utopia Planitia, uma enorme bacia de impacto em Marte. Seu orbitador durará um ano marciano.

Tianwen-1 não é a primeira tentativa da China de chegar a Marte. Uma missão anterior com a Rússia em 2011 terminou prematuramente quando o lançamento falhou.

Primeira foto de Marte do Tianwen-1. (Créditos: Administração Espacial Nacional da China/AFP)

O Perseverance da NASA, que deve pousar no Planeta Vermelho em 18 de fevereiro, se tornará o quinto rover a completar a viagem desde 1997 – e todos até agora têm sido americanos.

Ele está em uma missão de astrobiologia para procurar por sinais de vida microbiana antiga e tentará sobrevoar um helicóptero-drone de 1,8 kg em outro planeta pela primeira vez.

O Perseverance, capaz de navegar autonomamente 200 metros por dia, irá coletar amostras de rochas que podem fornecer pistas valiosas sobre se alguma vez houve vida no passado de Marte.

Do tamanho de um pequeno SUV, pesa uma tonelada métrica, tem 19 câmeras e dois microfones – que os cientistas esperam que sejam os primeiros a gravar sons em Marte.

A missão deve durar pelo menos dois anos.