Telescópio Espacial Hubble encontra a fonte do fluxo de Magalhães

Crédito da Imagem: NASA

Publicado na NASA

Astrônomos utilizando o telescópio espacial Hubble da NASA resolveram um mistério de 40 anos sobre a origem do fluxo de Magalhães, uma longa fita de gás que se estende quase até a metade em torno de nossa galáxia, Via Láctea.

A grande e pequena nuvem de Magalhães, duas galáxias anãs que orbitam a Via Láctea, estão à frente do fluxo gasoso. Desde a descoberta do fluxo por telescópios de rádio na década de 1970, os astrônomos se perguntam se o gás vem de uma ou de ambas as galáxias satélites. As novas observações do Hubble revelaram que a maior parte do gás foi retirado da Pequena Nuvem de Magalhães, cerca de 2 bilhões de anos atrás, e uma segunda região do fluxo mais recente que originou-se a partir da Grande Nuvem de Magalhães.

A equipe de astrônomos, liderada por Andrew J. Fox do “Space Telescope Science Institute” em Baltimoe, Maryland, determinou a fonte do filamento de gás usando “Cosmic Origins Spectrograph” do Hubble para medir a quantidade de elementos pesados, como oxigênio e enxofre, em seis locais ao longo do fluxo de Magalhães. Eles observaram os quasares distantes, os núcleos brilhantes de galáxias ativas, que emitem a luz que passa através da corrente. Eles detectaram os elementos pesados da forma como os elementos absorvem a luz ultravioleta.

A equipe de Fox encontrou uma baixa quantidade de oxigênio e enxofre ao longo do fluxo, combinando os níveis na Pequena Nuvem de Magalhães, cerca de 2 bilhões de anos atrás, quando a fita gasosa possivelmente teria se formado. Em uma reviravolta surpreendente, a equipe descobriu um nível muito mais elevado de enxofre em uma região do fluxo que está mais perto das nuvens de Magalhães.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorSe pousarmos na lua de Júpiter, Europa, o que descobrir?
Próximo artigoCientistas buscam pistas sobre vida extraterrestre em mina
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador do Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Pós-graduando em Ethical Hacking e Cybersecurity do Centro de Inovação VincIT (UNICIV) pela Faculdade Eficaz | Especializando em Cybersecurity pela Rochester Institute of Technology (edX MicroMasters Programs) | Especialização em Fundamentals of Computing Network Security pela University of Colorado System (Coursera Specialization) | Especialização em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University (Coursera Specialization) | Graduação interrompida em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Membro do Science Vlogs Brasil | Interesse em Divulgação Científica das ciências fáticas em geral | Interesse em Filosofia da Ciência no problema da demarcação entre Ciência e Pseudociência e da justificação entre Realismo e Antirrealismo | Estudando também o problema entre Tecnologia e Pseudotecnologia na Filosofia da Tecnologia | Interesse em Segurança Defensiva e Segurança Ofensiva em sites, servidores e redes de computadores | Endereço do Currículo Lattes e do LinkedIn.