Dicas úteis para a elaboração de um texto científico [Parte 01]

3
1978

A elaboração de textos científicos nos perseguirá durante toda a vida escolar e acadêmica (ensino médio, graduação, pós graduação e publicações acadêmicas).  Por esta razão venho trazer minhas principais descobertas para melhorar tanto a pesquisa quanto a escrita destes textos.

Este artigo será dividido em três posts. Neste primeiro post serão apresentadas as ferramentas mais básicas, que qualquer pesquisador pode usar em qualquer nível de dificuldade de seu trabalho.

Importante ressaltar que este texto não vai te ensinar a escrever, menos ainda a formatar segundo a ABNT, mas tão somente indicar ferramentas que podem auxiliar durante sua jornada…

It’s dangerous to go alone, take this:

  1. Como pesquisar no Google

É impossível negar que o posto de pai dos burros foi passado para o Google e, independente do trabalho que você vai fazer, você vai precisar utilizá-lo. Mas trabalhar com o Google tem seus segredos e saber deles vai facilitar sua vida.

A primeira dica: Use a opção “Ferramentas de Pesquisa”. Nela você pode selecionar se você deseja as respostas de sites brasileiros, apenas em português e o período da publicação (muito útil para encontrar notícias).

A segunda dica é a substituição de perguntas por palavras chave (isso garante respostas mais precisas). Assim em vez de procurar ”Quais são os problemas de saúde mais comuns em idosos?” procure ”doenças comuns idosos”.

A terceira dica é o acréscimo de comandos como “-” (menos) e aspas duplas (“”). Quando você não quer que algo apareça na pesquisa, no caso da pesquisa acima o termo “suplementos alimentares”, basta escrever os termos indesejados com um menos antes, deste jeito:

Doenças comuns idosos -suplemento -alimentar

Outra forma de filtrar é acrescer aspas no termo, para uma obtenção de uma resposta exatamente igual àquela digitada, por exemplo:

“Doenças em idosos”

Uma pesquisa mais completa poderia ser escrita da seguinte forma:

Doenças comuns idosos -“suplemento alimentar”

Quarta dica: Além disso, se você quer encontrar um bom canal de divulgação os sites com domínio “.edu” geralmente podem ajudar. Sites com este domínio costumam possuir uma boa base sobre o seu tema. Para filtrar esse tipo de site basta colocar antes das palavras chaves “site:edu”:

site:edu Doenças comuns idosos

(Nesse exemplo o acréscimo do site:edu já foi suficiente para eliminar resultados que ofereciam suplementos alimentares).

Quinta dica: Se você quer encontrar apostilas, artigos, livros e outros conteúdos relativos ao tema através da pesquisa Google pode adicionar a busca “filetype:” e logo em seguida (sem espaço) o formato do arquivo. O formato de texto mais compartilhado na internet é o PDF, logo usar “filetype:pdf” pode ser uma boa pedida.

Para mais comandos do Google acesse esse manual do TechTudo.

  1. Referencias ABNT

Facilis e o More são iniciativas de professores e alunos de diversas universidades brasileiras. Estas ferramentas online foram criadas para elaborar referências de artigos, livros e revistas formatadas segundo pede a ABNT, prontas para o CTRL+C e CTRL+V.

O MORE é, na minha opinião, o melhor entre eles. Sua interface é mais simples e organizada, além de permitir criar uma conta e salvar as referências.

  1. Formatação automática do ABNT (1)

Foi lançado no início de 2015 o Fastformat, um projeto formata seu trabalho de acordo com a norma ABNT. Para usar basta fazer uma conta no site, ou logar com o Facebook.

O campo para escrever o trabalho possui duas telas, uma onde você escreve e outra onde você vê a mágica ocorrer. A forma de usar estará devidamente explicada nos novos textos que forem criados.

O problema é que a única opção de exportar o texto é em PDF na versão grátis. Por isto esta é uma ferramenta a ser utilizada no termino da sua escrita, supondo que você não tenha interesse em pagar.

  1. Verificadores de Plágio

O plágio é outra coisa que preocupa a vários alunos na hora de escrever o trabalho. Como saber se estou copiando? E se tiver um texto parecido? No intuito de ajudar com esse problema existem os farejadores de plágio.

Inicialmente pensados a fim de ajudar o professor a encontrar alunos trapaceiros, eles podem acabar auxiliando os alunos a evitar problemas. Outra vantagem é que quando você usa esses programas no seu trabalho eles retornam sites que possuem temas semelhantes aos seus, sendo uma boa forma de garimpar textos para usar na sua pesquisa.

O melhor site para isso é o Copia e Cola, onde você insere o texto e, no máximo 24 horas depois, ele retorna a análise de trechos suspeitos. (A desvantagem é suportar apenas um arquivo por vez)

Um software (que deve ser instalado) que também faz o mesmo serviço, só que pode suportar vários arquivos por vez, é o CopySpider, com a desvantagem de ter uma heurística mais fraca.

  1. Melhorando as configurações de Leitura (1)

Um medidor de densidade das palavras calcula quais palavras aparecem mais vezes no seu texto. Desta forma você pode substituí-las por sinônimos e evitar uma repetição enfadonha.

É importante considerar que, para os critérios do Google, qualquer texto que contenha uma palavra com densidade maior que 5% se trata de spam. Assegurar a fluidez do texto é também parte vital da elaboração de um trabalho.

Uma ferramenta gratuita, e online, que faz este cálculo é o Word Counter 360.

Importante recordar que a revisão do texto por você, por seus amigos e colegas da área garante uma melhor estrutura textual e contribui para verificar a coesão e a facilidade da leitura.

Bom trabalho a todos.

Já saiu a Parte 02!!!

CONTINUAR LENDO