Um dos ‘milagres’ mais famosos da Bíblia era apenas o primeiro registro de um eclipse

O eclipse anular do dia 21 de agosto. Créditos: AP Images.

Por Carlos Zahumenzky
Publicado no Gizmodo

O antigo testamento está cheio de supostos milagres, mas há um que revelou ser verdadeiro, embora não precisamente sobrenatural. É um eclipse solar ocorrido há 3.224 anos. Até o momento, é o relato mais antigo.

A passagem aparece no livro de Josué (versículos 12 e 13 do capítulo 10). O texto diz o seguinte:

Então Josué falou ao Senhor, no dia em que o Senhor deu os amorreus na mão dos filhos de Israel, e disse aos olhos dos israelitas: ‘Sol, detém-te em Gibeom, e tu, Lua, no vale de Aijalom. E o ‘Sol se deteve, e a Lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O Sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.

Há tempos suspeitam que a passagem, na realidade, não é realmente uma licença poética, mas a descrição de um fenômeno real. A hipótese usa como base o fato de que a passagem provém de uma tradução do inglês, realizada em 1611, na denominada Bíblia do Rei Jaime. A tradução do hebraico não está inteiramente correta e, em vez de fazer referência ao fato de que o Sol e a Lua estavam parados, pode ser interpretada como que eles deixaram de fazer o que normalmente fazem.

Imagem da primeira edição da Bíblia do Rei Jaime.

O problema é que ninguém, até o presente o momento, tinha conseguido confirmar que realmente aconteceu um eclipse nas datas referidas da passagem, que correspondem ao êxodo dos israelitas a Canaã e sua vitória sobre os amorreus (em algum momento entre os anos de 1500 e 1050 AEC).

Uma nova série de cálculos astronômicos, realizada por um grupo de pesquisadores da Universidade de Cambridge, conseguiu definir a data de um eclipse, que combina perfeitamente não apenas com a Bíblia, mas com os registros históricos dos faraós do antigo Egito. O eclipse, do tipo anular como o que aconteceu em 21 de agosto de 2017, ocorreu exatamente no dia 30 de outubro do ano de 1207 AEC e foi perfeitamente visível a partir de Canaã.

Os dados não revelam apenas o primeiro registro documentado de um eclipse na história da humanidade, mas servem para datar com uma precisão de um ano os reinados do faraó Ramsés II e seu filho Merenptah.

Referências

  • Colin Humphreys and Graeme Waddington. ‘Solar eclipse of 1207 BC helps to date pharaohs.’ Astronomy & Geophysics (2017). DOI: 10.1093/astrogeo/atx178
CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorBiólogos criam besouro com olho funcional extra
Próximo artigoEstudo conclui que a religião não está relacionada com o pensamento intuitivo ou racional
Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores (2018) pela Universidade de Franca (UNIFRAN); quase-graduado em Licenciatura em Filosofia (2014-2017) pela mesma universidade, faltando apenas o Estágio Supervisionado no Ensino Médio para obtenção do título de graduado; especialista no programa Journey of the Universe: A Story for Our Times (2017-2018) pela Yale University (YU); especializando no programa Fundamentals of Computer - Network Security (2018) pela University of Colorado (UC); fundador da Organização Universo Racionalista (UR); colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade (IERFH); membro-estudante da Rede Brasileira de Astrobiologia (RBA). Tem interesse nas áreas de Astronomia, Astrobiologia, Biologia Evolutiva, Física, Filosofia Científica, Ethical Hacking, História da Ciência, Microbiologia, Neurociência, Pentest, Psicobiologia, Segurança da Informação e Sociologia da Ciência. Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes.

Deixe um comentário

6 Comentários em "Um dos ‘milagres’ mais famosos da Bíblia era apenas o primeiro registro de um eclipse"

avatar
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Pedro Moacyr Mendes de Campos
Visitante

Não é difícil imaginar a complexidade dos cálculos. Se o sol e a lua “pararam”, o que não creio, sabe-se que muitos fenômenos o correram através da história muitos dos quais associados à crenças diversas. O estado emocional, seja de um indivíduo ou de um coletivo permite dimensionar a passagem do tempo sob diversas formas principalmente o tempo de duração quando observavam o fenômeno. O medo sabe dimensionar o estado emocional.

Rafael
Visitante

Tudo bem, digamos que o fato narrado pela Bíblia foi um eclipse, não um “milagre”. Mas como explicar a última parte do texto bíblico que diz: “O Sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.”? Foi um eclipse que durou quase um dia todo? Nunca vi fato semelhante.

Astuto
Visitante

Aí sim entra a licença poética. Um fato pode ser exacerbado por seus escritores, visto que até onde nós sabemos, a Bíblia não tem necessariamente a função de responder de modo preciso fatos históricos.

Luiz
Visitante

Fontes