Uma sonda chinesa acaba de trazer de volta as primeiras amostras da Lua em décadas

0
85
(Créditos: Xinhua/YouTube)

Traduzido por Julio Batista
Original de AFP para a ScienceAlert

Uma espaçonave chinesa não tripulada carregando rochas e material do solo da Lua voltou com segurança à Terra nessa quinta-feira na primeira missão em quatro décadas para coletar amostras lunares, disse a agência de notícias Xinhua.

O módulo de retorno da sonda espacial conhecida como Chang’e-5 pousou na região da Mongólia Interior, no norte da China, disse a Xinhua, citando a Administração Espacial Nacional da China.

Pequim está procurando alcançar os EUA e a Rússia depois de levar décadas para se equiparar às realizações desses países e investiu bilhões em seu programa espacial militar.

A espaçonave, com seu nome em homenagem a uma deusa lunar chinesa mítica, pousou na Lua em 1º de dezembro e iniciou sua viagem de retorno dois dias depois. Enquanto estava na Lua, ela hasteou a bandeira chinesa, disse a agência espacial chinesa.

Os cientistas esperam que as amostras os ajudem a aprender sobre as origens, a formação e a atividade vulcânica da Lua em sua superfície.

Com esta missão, a China tornou-se o terceiro país a ter recuperado amostras da Lua, depois dos Estados Unidos e da União Soviética nas décadas de 1960 e 1970.

Esta foi a primeira tentativa desde a missão Luna 24 da União Soviética em 1976.

A missão da espaçonave era coletar dois quilogramas de material em uma área conhecida como Oceanus Procellarum – ou “Oceano de Tempestades” – uma vasta planície de lava até então inexplorada, de acordo com a revista científica Nature.

Sob o presidente Xi Jinping, os planos para o “sonho espacial” da China, como ele o chama, receberam investimento pesado.

A China espera ter uma estação espacial tripulada até 2022 e, eventualmente, enviar humanos para a Lua.

© Agence France-Presse