Universo Racionalista mergulha nas águas de Arraial do Cabo e conhece de perto a biodiversidade do “Caribe Brasileiro”

0
2003
Ilha do Farol, em Arraial do Cabo, um patrimônio da União que está sob jurisdição da Marinha Brasileira. Tem sitio arqueólogo com cemitério indígena e nela está localizada a Praia do Farol, que é considerada pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) a praia mais perfeita do Brasil tendo cerca de 1000m de extensão, com pequenas dunas recobertas por vegetação típica da restinga. Quase no meio da praia tem uma figueira centenária, descrita por Américo Vespúcio em seus manuscritos. Necessita de autorização do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira para sua visitação. O acesso é feito por meio de barco e há um tempo de permanência para ficar na Ilha. (Foto – Régis Júnior/UR)

Manoel Felipe e Régis Júnior estiveram frente a frente com tartarugas, águas vivas, corais, peixes e muita vida marinha.

Dando continuidade no projeto “Costa Brasileira”, a Universo Racionalista enviou uma equipe para Arraial do Cabo, município localizado na Região dos Lagos, no litoral norte do Rio de Janeiro, a 165 quilômetros da capital carioca. A paisagem local é composta por cenários paradisíacos que encantam os olhos de turistas de diversas regiões do Brasil e do mundo. Considerado o “Caribe Brasileiro”, a cidade costeira tem uma altitude média de quinze metros, foi fundada no ano de 1503, pelo conquistador Américo Vespúcio, e foi elevada a município apenas em 1985, após emancipação de Cabo Frio. Com o título de “Capital Estadual do Mergulho”, a convite da Mr. Diver, nossos enviados especiais viveram a experiência de um “batismo” realizado nas águas frias da Ilha do Farol, mais especificamente na Enseada do Anequim.

São diversos pontos de mergulho em Arraial do Cabo, que variam de acordo com os níveis de dificuldades permitindo que desde o mergulhador iniciante até o mais experiente possam se fascinar com as belezas e diversidades da vida marinha que compõe esses cenários naturais, com muitas fendas e até naufrágios. Para os iniciantes a empresa de mergulho Mr. Diver oferece o batismo, que foi o que o cinegrafista Régis Júnior e o repórter Manoel Felipe fizeram. Este tipo consiste num mergulho acompanhado de um instrutor credenciado, com tempo médio de 30 a 35 minutos, tornando-se uma verdadeira aventura no fundo do mar.

Antes de se aventurarem nas profundezas do Atlântico, eles receberam as orientações do instrutor Ronnie Tavares, onde aprenderam as regras básicas e necessárias para a segurança, como os sinais de comunicação subaquática e detalhes dos equipamentos e da embarcação. Esta primeira viagem submarina é feita numa profundidade que varia de 4 a 6 metros, podendo chegar a 12 metros, de acordo com o conforto e resposta ao mergulho de cada praticante. Todo o equipamento necessário e o transporte de barco, que parte da Praia dos Anjos até o local do mergulho, é oferecido pela Mr. Diver.

Manoel Felipe e Régis Júnior durante o mergulho de batismo, na Enseada do Anequim, em Arraial do Cabo – RJ. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver)

Segundo o instrutor da Mr. Diver, a Enseada do Anequim, na Ilha do Farol, onde mergulhamos, recebe esse nome por conta de uma pedra pontuda que aparece para fora da água e se aparenta com a barbatana do Tubarão Anequim. O local é muito famoso por ser um ponto de Arraial do Cabo com mais tartarugas e uma rica biodiversidade marinha. Consideravelmente raso e quase sem correntes, o que permite um mergulho tranquilo para os iniciantes, mas que pela quantidade de vida atrai também os mergulhares mais experientes. Régis esteve frente a frente com duas tartarugas neste mergulho, e o Manoel foi clicado junto a uma medusa gigante. As águas naquela região são bem frias, muitas vezes por conta da ressurgência, e além das tartarugas este ponto de mergulho tem muitos peixes pequenos e coloridos podendo ser encontrados entre 4 e 6 metros de profundidade, na parte um pouco mais quente da água.

O fenômeno oceanógrafo da ressurgência ou afloramento, como também é conhecido, consiste na subida de águas profundas para regiões menos profundas do oceano. No Brasil, está ação é ocasionada pelos ventos do quadrante leste/nordeste, que aliados ao movimento de rotação da Terra carregam água quente da “Corrente do Brasil”. Essas massas seguem do Nordeste em direção ao sul do país e vão de encontro com a Corrente das Maldivas, que tem direção contrária. Em Arraial do Cabo, o afloramento acontece, principalmente, no fim da primavera e durante todo o verão. Com a subida das águas frias do fundo do mar, os nutrientes que são inertes na ausência da luz solar, passam a ser utilizados como alimentos pelas algas microscópicas, que realizam a fotossíntese, aumentando o número de produtores, o primeiro nível da cadeia alimentar. Por isso, constatamos a grande importância deste evento para a cidade de Arraial do Cabo, proporcionando uma maior diversidade de animais e vegetais, o que favorece diretamente o turismo e a pesca, que são os principais responsáveis pela movimentação econômica do município .

Régis Júnior, fotógrafo e cinegrafista da UR, foi clicado mergulhando ao lado de Tartarugas Verdes na Enseada do Anequim, na Ilha do Farol, em Arraial do Cabo. O local é um dos principais pontos de mergulho da cidade. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver).
A biodiversidade marinha na Ilha do Farol, em Arraial do Cabo, é incrível. Neste click subaquático nosso repórter, Manoel Felipe, aparece frente a frente com uma medusa gigante. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver).
O Coral-Sol apresenta uma das mais lindas formações do oceano, mas é um bioinvasor perigoso e nocivo. Registros apontam que esta espécie de coral chegou ao Brasil há cerca de 30 anos, observados inicialmente em plataformas de petróleo na Bacia de Campos (RJ) e já se espalhou por mais de cinco estados (SP, SC, BA e SE). Segundo estudiosos, o Coral-Sol, que pertence ao gênero Tubastraea, se alimenta de plâncton e realizam a absorção de carbonato de cálcio na coluna da água para construção do seu esqueleto e em função disso, os organismos podem significar uma alteração na cadeia alimentar e, conseqüentemente, ter uma alteração na biodiversidade marinha. Neste registro nosso repórter, Manoel Felipe, aparece ao lado de uma rocha recoberta pelo Coral-Sol na Ilha do Farol, em Arraial do Cabo. (Fotos -Sérgio Goitea/Mr. Diver).
Régis Júnior também foi clicado junto ao rochedo recoberto com o Coral-Sol. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver)

As condições de preservação do fundo do mar são bem rígidas, é fundamental respeitar as regras da reserva extrativista e não relar a mão na vida marinha, sob o risco de ter que voltar para a superfície e ser proibido de mergulhar novamente.

Além dos corais, águas vivas e tartarugas, é possível observar diversas outras espécies de animais subaquáticos popularmente conhecidos como moréia verde e moréia pintada, raias, cavalos marinhos, baiacu espinho e baiacu arara, budião, peixe cofre, além de moluscos como sépias, lulas, polvos, bailarina espanhola, muitos nudibrânquios coloridos e o famoso cação viola, que apesar da aparência de raia, é sim uma espécie de tubarão

Neste registro, Régis Júnior mergulha ao lado de peixes popularmente conhecidos como Peruá ou Cangulo. (Foto – Sérgio Goitea/Mr.Diver).
Manoel Felipe mergulha junto ao Baiacu Espinho, na Enseada do Anequim, em Arraial do Cabo. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver).
É comum encontrar águas-vivas nas águas geladas de Arraial do Cabo, neste registro nosso cinegrafista Régis Júnior foi clicado junto à uma medusa. (Foto – Sérgio Goitea/Mr. Diver).

Os mergulhos acontecem pela manhã e o valor do passeio custa em média R$ 200,00, dependendo do período do ano. Na Mr. Diver você tem toda a orientação que precisa, com uma equipe qualificada para que você possa viver essa experiência com total segurança e conforto. Todo o passeio é registrado pelas lentes do fotografo subaquático Sérgio Goitea, argentino que há 5 anos vive em Arraial do Cabo fotografando a vida marinha e suas peculiaridades, te dando a oportunidade de levar do fundo do mar a única lembrança permitida, a foto.

Enseada do Anequim, Ilha do Farol, Arraial do Cabo – RJ. Neste click aéreo feito pelo drone do nosso fotógrafo Régis Júnior, podemos ver a profundidade deste ponto de mergulho que pode chegar a até 12 metros. O local é um dos mais tradicionais para a prática, pois conta com uma rica biodiversidade marinha, e em determinado ponto pode-se encontrar, ainda, alguns destroços do naufrágio Wizard -1839. (Foto – Régis Júnior/UR).
Estando em Arraial do Cabo, é possível também fazer um incrível passeio de barco pela Ilha do Farol,
passando pela Gruta Azul, um salão de 30 metros de extensão e 15 de altura – o nome vem dos efeitos causados pelas paredes internas, que têm tons dourado e prateado e que se tornam azuis de acordo com a incidência da luz. (Foto – Régis Júnior/UR).
Ponto extremo do litoral brasileiro na região sudeste, a Ilha do Farol é destino certo para os turistas que visitam Arraial do Cabo. Topo de uma montanha submersa recoberta pela Mata Atlântica, a Ilha tem cerca de 4.8 km de extensão. Seu relevo atinge até 390 metros de altura e nela está localizada a Praia do Farol, a Gruta Azul, a Gruta do Oratório, o Farol Novo, a Fenda de Nossa Senhora, as ruínas do Farol Velho, além de diversos pontos de mergulhos. Nela está instalada a Estação de Aquacultura do Instituto de Pesquisa da Marinha. (Foto – Régis Júnior/UR).

Para conhecer um pouco mais sobre o batismo, agendar sua visita ou tirar qualquer outra dúvida, basta acessar o site da Mr. Diver – Escola e Operadora de Mergulho (www.mrdiver.com.br) ou ligar para (22) 2622-1164.
Por Manoel Felipe Martins Marques

CONTINUAR LENDO