A série “Cosmos: Mundos Possíveis” vai despertar sua imaginação e alertar sobre o futuro da nossa espécie

0
630

Por Tony Bradley
Publicado na Forbes

Quando se trata de ciência e exploração da natureza e das leis do Universo, existem milhares – talvez dezenas de milhares – de pessoas ao redor do mundo e ao longo da história que trabalham diligentemente para explicar o mundo ao nosso redor. Entre esses, há alguns que emergem como personalidades da ciência – os contadores de histórias que compartilham o sentimento de admiração com aqueles que não são cientistas e nos ajudam a entender o nosso lugar no Universo e o nosso papel na saga que ainda está por vir.

Carl Sagan era uma dessas pessoas. Um comunicado de imprensa da Nat Geo explica: “Muitas décadas atrás, um jovem Carl Sagan sonhava acordado no tapete de um prédio, imaginando algo bastante único para alguém tão jovem: um desenho repleto dos sonhos de um menino da era espacial e da exploração interestelar. Um visionário de renome mundial, Sagan viveu esses sonhos e os compartilhou com o mundo em Cosmos: Uma Viagem Pessoal, criando a franquia científica mais amada da história da televisão”.

Ann Druyan, viúva de Carl Sagan e colaboradora no Cosmos original, é a mão orientadora para continuar produzindo esta série. Ela é citada no comunicado de imprensa da Nat Geo: Cosmos é muito mais que uma jornada dramática e cinematográfica; esperamos que desperte o público global mais amplo possível para a busca sagrada no coração da ciência. Você encontrará novos heróis que estavam dispostos a desistir de suas vidas em vez de mentir ou comprometer o futuro. Cosmos: Mundos Possíveis é uma visão do futuro que ainda podemos ter se tivermos a sabedoria e a vontade de agir de acordo com o que os cientistas estão nos dizendo”.

A temporada de 13 episódios oferece uma viagem através do passado e do presente, para um território desconhecido e imaginando o futuro. Os episódios combinam efeitos visuais de última geração, animação estilizada e reconstituições dramáticas para levar o público ao futuro e imaginar o potencial existente para mudar nossa realidade.

Neil deGrasse Tyson, apresentador do programa, afirma: “Esta temporada não é diferente das duas anteriores. Acho que o que todas elas têm em comum é a capacidade de não apenas esclarecer a ciência – e, ocasionalmente, a tecnologia por trás da ciência, mas encontrar uma maneira que a torne importante para você e que o capacite a se tornar uma pessoa melhor para a civilização”.

Ele enfatiza que temos o conhecimento, mas a questão é se temos a sabedoria de aplicar o conhecimento na natureza e no mundo ao nosso redor para garantir que sobreviveremos – e prosperaremos. Neil acrescentou que espera que Cosmos: Mundos Possíveis deixe os espectadores com um senso de maravilhamento associado ao dever de fazer algo sobre este mundo.

Cosmos é uma série que faz sonhar e também necessária para tempos sombrios com negacionismo criando crenças perigosas. É uma série também para refletir. Que dirá a pergunta feita por deGrasse Tyson logo em seu episódio de abertura: Onde estará a humanidade até o fim do século? E no próximo milênio?”. A Nat Geo se destaca pela criação de conteúdo atraente e divertido, mas também educa e informa, e Cosmos: Mundos Possíveis continua esse legado.

CONTINUAR LENDO