Alguns dos fatos científicos mais tristes de todos os tempos

1
974

Artigo traduzido e originalmente publicado no site BuzzFeed.

1. No seu primeiro aniversário em Marte, o rover Curiosity foi programado para cantar ”Feliz Aniversário” para si próprio.

2. Marte é habitada inteiramente com robôs, mas eles nunca se encontrarão.

De todos os robôs em Marte, apenas Curiosity e Opportunity ainda estão vivas e bem, porém em lados opostos do planeta.

3. Há uma baleia chamada Baleia dos 52 Hertz que pode ser a única de sua espécie. Ela viaja sozinha, cantando a uma frequência diferente de outras baleias.

As chamadas de baleias geralmente estão na casa dos 20 hertz, uma freqüência apenas audível para humanos. Então, quando os cientistas começaram a ouvir uma chamada de 52 hertz, eles não acharam imediatamente que era uma baleia. Os cientistas escreveram em um artigo:

Talvez seja difícil aceitar que se isso fosse realmente uma baleia, poderia haver apenas uma dessa espécie neste extenso oceano, ainda que, apesar de um monitoramento abrangente e cuidadoso durante todo o ano, apenas uma chamada com essas características foi encontrada, e também houve apenas uma fonte por temporada.

Apesar de tudo isso, essa história ainda pode ter um final mais feliz: alguns cientistas agora acreditam que foram detectados sinais semelhantes, o que significa que a baleia pode não estar sozinha depois de tudo.

4. Plutão não conseguiu fazer uma órbita completa em torno do sol no tempo entre sua descoberta e rebaixamento para a categoria de ”planeta anão”.

O planeta demora 248 anos para completar essa jornada.

5. New Horizons passou nove anos viajando para Plutão, mas apenas 22 horas coletando dados do planeta anão. 

“Meu Deus, olá!!!” “Oh, ok, tchau então. :(“

6. Os cientistas acidentalmente mataram o animal mais antigo do mundo a ser encontrado vivo quando o descobriram (também acidentalmente) em 2006. 

O molusco Ming se tornou notório em 2006 ao entrar no Guinness Book como o animal mais antigo do mundo a ser encontrado vivo. Ele era um bivalve islandês, de nome científico Arctica islandica, recebendo o nome popular ”Ming” em uma clara referência à dinastia chinesa reinante na época do seu nascimento.

Quando este animal nasceu, Shakespeare ainda não havia escrito suas principais peças e Giordano Bruno fora queimado em praça pública por afirmar que o Sol, e não a Terra, era o centro do Universo.

— Pesquisadores, em nota à imprensa.

Em 2006, aos 507 anos, Ming foi morto quando os cientistas britânicos — sem saber ao certo a idade do molusco — resolveram abrir sua concha para estudar detalhadamente a espécie e precisar sua idade até então desconhecida. Mesmo após sua morte, os cientistas usam o molusco para estudar as mudanças climáticas que ocorreram no planeta desde o ano de 1500, uma vez que os anéis encontrados em sua concha guardam informações importantes sobre as mudanças climáticas que ocorreram no passado.

7. As duas naves espaciais Voyager são os objetos mais distantes da Terra feitos pelo homem, mas ambas estão viajando em direções diferentes. 

Navegando nas profundezas do Cosmos sozinha, a Voyager 1 está agora no espaço interestelar. A Voyager 2 ainda está na heliosfera, a camada mais externa de uma bolha em torno do sistema solar criada pelo vento solar.

8. A Voyager 1 não alcançará outro sistema estelar por 40.000 anos, e mesmo assim, ainda estará um ano-luz longe da estrela. 

A Voyager 2 passará por uma estrela diferente ao mesmo tempo.

9. Uma nave espacial lançada nos anos 70 ainda estava transmitindo um sinal para a Terra em 2008, mas ninguém o ouviu durante nove anos. 

Ela foi originalmente chamada ISEE-3 e era encarregada de investigar o vento solar. Porém, em 1983, mudou de rumo (e nome, para ICE) e começou a observar alguns cometas. A ICE deveria parar de transmitir em algum momento nos anos 90, mas aparentemente alguém esqueceu de contar isso para ela.

Assim, em 2008, quando estava em órbita ao redor do sol, o especialista em design de missão da NASA, Robert Farquhar, tentou – e conseguiu – detectar o sinal que ICE estava transmitindo.

Em 2014, o ICE voltou de suas aventuras cometárias e passou pela Terra. A NASA já não estava financiando a comunicação com a nave espacial, mas um grupo não oficial chamado ISEE Reboot Project conseguiu falar com a nave em maio daquele ano e disparar os propulsores em julho, antes de eventualmente perder o contato mais uma vez.

10. Os cucos enganam outros pássaros para criar seus bebês, colocando ovos em seus ninhos. O bebê cuco cresce mais rápido do que os outros e pode forçar os pintinhos mais pequenos para fora do ninho.

11. Ursos pardos têm sido conhecidos por abandonar filhotes únicos para que possam tentar uma ninhada maior no próximo ano.

Um filhote solitário levaria aproximadamente dois anos para ser criado, impedindo a mãe de ter outra ninhada por três anos se tivesse que criá-lo.

12. Pandas muitas vezes têm gêmeos, mas geralmente a mãe só pode cuidar de um, abandonando o outro filhote.

Os filhotes de panda gigantes não podem nem sequer abrir os olhos até que tenham 6 semanas de idade, e não podem se mover até que tenham 3 meses. Pobres rapazes.

CONTINUAR LENDO