Arquivo OVNI do FBI não prova o caso Roswell

Imagem do filme "O dia em que a Terra parou".

Por Benjamin Radford
Publicado na Live Science

Um memorando de 1950, recentemente descoberto nos arquivos do FBI, prova que o governo dos EUA recuperou discos voadores e corpos alienígenas em Roswell, Novo México?

Isso é o que muitos veículos de notícias e sites estão reportando. O tabloide britânico The Sun, por exemplo, afirma que “a incrível descoberta de OVNIs em Roswell, Novo México, foi detalhada pelo agente Guy Hottel do FBI em um memorando de 1950 para o diretor da agência”.

O memorando, datado de 22 de março, relata que “um investigador da Força Aérea afirmou que três discos voadores tinham sido recuperados no Novo México… Cada um deles ocupado por três corpos em um forma humana, mas com apenas 1 metro de altura, vestidos com um tecido metálico de uma textura bastante fina… De acordo com o informante [o nome aparece riscado], os discos foram encontrados no Novo México”. Aparentemente, é um memorando genuíno do FBI e não há evidências claras de falsificação.

Ele está sendo referido como um documento secreto que finalmente confirma o que os proponentes da ufologia suspeitavam durante anos. A história está circulando pela Internet, ganhando manchetes como O memorando secreto do FBI prova que o governo encobriu o pouso alienígena de Roswell em 1947.

Um assunto bastante dramático. Porém, a verdade é muito diferente. O memorando não é secreto, nem novo, nem se refere a nada do que aconteceu em Roswell.

Esse documento foi realmente discutido nos círculos de grupos ufológicos desde o final dos anos 90. Uma leitura atenta revela que o agente Hottel não está endossando ou verificando nenhuma das informações apresentadas no memorando. Ele está apenas relatando o que um investigador da Força Aérea disse que alguém lhe contou sobre a queda de discos. É um relato de terceira mão de uma história.

Além disso, a descrição no memorando, três “discos voadores… de forma circular com centros elevados… e aproximadamente 15 metros de diâmetro”, não corresponde ao acidente de Roswell em 1947. As testemunhas oculares de Roswell descreveram como encontraram detritos metálicos leves espalhados em um campo, mas não três discos voadores intactos de 15 metros, ainda mais segurando nove corpos alienígenas mortos.

De fato, esse memorando não se refere a Roswell, mas a um acidente de OVNI relatado em outra pequena cidade do Novo México, chamada Aztec, em março de 1948. David E. Thomas, físico e pesquisador do grupo Novos Mexicanos pela Ciência e Razão, descobriu que o informante mencionado no memorando era quase certamente um vigarista chamado Silas Newton, que criou um boato completo de acidentes de OVNIs com histórias de discos voadores circulares carregando alienígenas de um metro e meio de altura. Ele tentou convencer os investidores de que tinha acesso à tecnologia alienígena que iria torná-los todos ricos. Porém, tudo acabou sendo uma farsa. Newton foi preso em 1952 e condenado por fraude. Newton não contou apenas sua história ao investigador da Força Aérea que Hottel mencionou. Ele contou o mesmo relato para muitas outras pessoas, incluindo um escritor da revista Variety chamado Frank Scully.

Também é suspeito o fato de que o documento supostamente “comprobatório” é apenas um memorando comum, que pode ser encontrado em qualquer escritório. O memorando não está classificado como Ultra Secreto ou mesmo Secreto. Na verdade, não é nem classificado. Essa suposta prova de queda de discos voadores é mencionada em um memorando comum – sem qualquer segredo ou preocupação militar, assim como um pedido por mais grampeadores em um escritório.

CONTINUAR LENDO