Cientistas aumentam a expectativa de vida de verme em 500%

Seria como um ser humano com 400 anos.

0
388
Créditos: Kbradnam / Victor Tangermann.

Traduzido por Julio Batista
Original de Kristin Houser, no Futurism

Com uma expectativa de vida de apenas três a quatro semanas, há uma chance de você ter leite na geladeira mais antigo que o verme C. elegans.

Em um estudo publicado na revista científica Cell Reports em julho do ano passado, uma equipe internacional de pesquisadores encontrou uma maneira de fazer os vermes viverem cinco vezes mais. Isso seria equivalente a um ser humano completando 400 anos – e os cientistas acham que o novo estudo pode ser um passo importante no caminho para tornar essa longevidade humana uma realidade.

Primeiro, um pouco de experiência em biologia: as moléculas nas células formam vias de sinalização para realizar várias funções celulares. Uma molécula pode receber um sinal para fazer alguma coisa – dividir a célula, por exemplo – e depois passa esse sinal para a próxima molécula no caminho, que passa para a próxima e assim por diante.

Pesquisas anteriores haviam encontrado uma ligação entre duas vias de sinalização em uma C. elegans – a via de sinalização da insulina e o alvo da via da rapamicina – e o envelhecimento. Especificamente, os cientistas descobriram que alterar o caminho anterior dobrava a expectativa de vida de um verme, enquanto o último aumentava em 30%.

Logicamente, isso significa que alterar os dois caminhos deve aumentar a expectativa de vida dos vermes dos vermes em 130%. Mas, como descobriram os autores do estudo com os C. elegans, na verdade  isso aumentou a expectativa de vida do verme em mais de 500%.

“A extensão sinérgica é realmente assustadora”, disse Jarod Rollins, pesquisador do Laboratório Biológico da MDI, em um comunicado de imprensa. “O efeito não é um mais um é igual a dois, é um mais um é igual a cinco”.

Obviamente, o verme C. elegans é muito diferentes dos humanos. Mas eles têm muitos dos mesmos genes que nós, o que é uma das razões pelas quais eles são uma parte integrante da pesquisa sobre envelhecimento. E agora que os cientistas descobriram uma maneira de prolongar drasticamente a expectativa de vida dos vermes, eles podem aplicar o conhecimento aos seres humanos.

“Apesar da descoberta em C. elegans das vias celulares que orientam o envelhecimento, ainda não está claro como essas vias interagem”, disse o presidente do Laboratório Biológico da MDI, Hermann Haller, no comunicado de imprensa. “Ao ajudar a caracterizar essas interações, nossos cientistas estão preparando o caminho para as terapias necessárias para aumentar a expectativa de vida saudável de uma população que envelhece rapidamente”.

CONTINUAR LENDO