Como podemos sentir a Terra se mover?

0
1533

Artigo traduzido e originalmente publicado em Quora.

Na verdade, nós não podemos, porque nossos sentidos não são bons o suficiente. É por isso que na maioria das vezes na história da Física, a Terra é assumida como um referencial inercial. Mas há uma maneira de ver o efeito da rotação da Terra: usando o Pêndulo de Foucault.

O que você vê na foto acima é uma bola de bronze de 28 quilos pendurada em um fio de 67 metros de comprimento da cúpula do Panteão em Paris (o original foi construído no Observatório de Paris, e depois Foucault construiu este pouco tempo depois, em 1851).

Jean Bernard Léon Foucault, o inventor do pêndulo.

Embora você não possa “sentir” o efeito Coriolis, o pêndulo consegue sentir e gira lentamente, como pode ser visto no desenho abaixo:

Há uma abundância destes pêndulos em torno do globo hoje em dia, e você provavelmente vai encontrá-los no museu de ciência mais próximo de sua casa. Eles são aqueles com um ”dominó” em torno deles, ou aqueles que derramam areia. Provavelmente não serão tão grandes como o de Paris, mas com eles você será capaz de “ver” a rotação da Terra.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorArgumentando sem links. Um guia para evitar a precipitação argumentativa.
Próximo artigoGórgias e o “Lógos”
Ruan Bitencourt Silva
Nativo de Lages, Santa Catarina, eu sou cético, liberal, secularista, humanista, ateísta, roqueiro punk, flamenguista e um fã assíduo da ciência, da música, do esporte, da literatura e da cinematografia. Apaixonado por rock e pelo Universo, sonho em me tornar um guitarrista e astrofísico profissional (e, quem sabe, ser premiado com um Nobel e/ou um Grammy). Sou constantemente inspirado todos os dias por bandas como Nirvana, Legião Urbana e Green Day, por músicos como Kurt Cobain, Renato Russo e Billie Joe Armstrong, e por personalidades históricas como Carl Sagan, Isaac Newton e Albert Einstein. Atualmente ocupo meu tempo compondo músicas, escrevendo textos, lendo, tocando guitarra, e assistindo minhas séries preferidas. Pretendo, nos próximos anos, iniciar um bacharelado no ramo da Física, e após o término deste, construir uma pós-graduação voltada ao ramo da Astronomia. Se por ventura esse plano não der certo, seguirei a carreira como guitarrista e compositor, seja em uma banda completa ou até mesmo em uma carreira solo.