Donatello, Leonardo, Michelangelo e Rafael: artistas renascentistas ou tartarugas ninja?

0
129

“O perdão é divino, mas nunca paga o preço da pizza que chega atrasada.”
— Michelangelo, a tartaruga ninja

Quem são as Tartarugas Ninja? Quer você tenha estudado história da arte ou não, é certo que você pode citar pelo menos quatro artistas renascentistas graças a uma história em quadrinhos da década de 1980. Do ponto de vista da história da arte, talvez seja bastante deprimente que quatro jovens tartarugas que se tornaram heróis ninjas amantes de pizza tenham recebido nomes de gênios artísticos da Renascença italiana.

De outro ponto de vista, é possível que esse simples ato tenha dado a esses titãs artísticos de 500 anos atrás relevância no mundo moderno e talvez mais fama entre a nova geração. Mas o que exatamente foi a Renascença e por que esses personagens de quadrinhos foram nomeados em homenagem a esses renomados artistas italianos?

O que foi o Renascimento e por que foi tão importante?

O Renascimento – uma explosão cultural, política, científica e intelectual na Europa entre os séculos XIV e XVII – representa talvez o período mais profundamente importante no desenvolvimento humano desde a queda da Roma Antiga. Desde suas origens na Florença do século XIV, a Renascença mudou o mundo em quase todas as maneiras que alguém poderia imaginar. Foi uma espécie de efeito bola de neve: cada novo avanço intelectual pavimentou o caminho para novos avanços.

A Itália do século XIV foi um terreno fértil para uma revolução cultural. A Peste Negra exterminou milhões de pessoas na Europa – segundo algumas estimativas, matando até uma em cada três entre 1346 e 1353. Pelas leis mais simples da economia, isso significava que aqueles que sobreviveram ficaram com riqueza proporcionalmente maior: ou de menos pessoas herdando mais, ou simplesmente em virtude da oferta e demanda – com menos trabalhadores disponíveis, os salários aumentaram naturalmente.

No topo da sociedade italiana estava uma nova geração de governantes, ansiosos por demonstrar sua riqueza de uma forma que os diferenciasse. Famílias como os Medici de Florença buscaram inspiração nas antigas civilizações romana e grega – assim como os artistas que dependiam de seu patrocínio.  A Itália foi inundada com clássicos “perdidos” do mundo antigo, e artistas como Donatello, Leonardo, Michelangelo e Rafael tomaram seus contos, heróis e deuses como um ponto de partida para a criação de um tipo de arte extraordinário.

A arte renascentista não se limitou a simplesmente parecer bonita. Atrás dela estava uma nova disciplina intelectual: a perspectiva foi desenvolvida, luz e sombra foram estudadas e a anatomia humana foi analisada – tudo em busca de um novo realismo e um desejo de capturar a beleza do mundo como ele realmente era.

Se a Renascença redescobriu a ambição intelectual das civilizações clássicas, também expandiu os limites do que sabemos – e do que poderíamos alcançar. As novas ideias de pensadores livres, matemáticos e cientistas tornaram-se acessíveis às massas, e a arte e a ciência tornaram-se, pela primeira vez na história da humanidade, verdadeiramente democráticas.

As sementes do mundo moderno foram plantadas e cultivadas na Renascença. Da circunavegação do mundo à descoberta do sistema solar, da beleza do Davi de Michelangelo à perfeição da Mona Lisa de Leonardo, do gênio de Shakespeare à ousadia de Lutero, e por meio de avanços impressionantes na ciência e na matemática, o homem alcançou novos patamares neste período tumultuado. O Renascimento mudou o mundo. Você pode até dizer que criou tudo o que hoje conhecemos como vida moderna.

Quem são as tartarugas ninja e por que elas receberam esses nomes?

Cowabunga, fãs de Tartarugas Ninja. Essa faixa-título sempre me emocionou, é tão cheia de energia. As Tartarugas Ninja não foi apenas uma revista em quadrinhos divertida, mas uma história que nos fez refletir sobre honra, disciplina, obediência e, acima de tudo, ninjutsu. Leonardo nos ensinou a sermos apaixonados pelas coisas que amamos; Donatello nos ensinou que as máquinas poderiam ser legais se as usássemos no bom sentido; Raphael nos fez perceber que precisa haver um pouco de bandido em você para proteger o que você ama; e Michelangelo, meu favorito, viveu o momento e comeu pizzas. Mas nunca paramos para pensar de onde vieram os nomes dos nossos queridos répteis ninjas.

As Tartarugas Ninja foram criadas por Kevin Eastman e Peter Laird – amigos artistas de Northampton Massachusetts, que costumavam sair juntos para desenhar personagens de quadrinhos. Uma noite, enquanto Laird estava absorto assistindo TV, Eastman (na esperança de distrair seu amigo) desenhou uma tartaruga em pé com feições humanas, uma máscara e nunchakus com um logotipo grosseiro acima – escrito “Tartaruga Ninja”. Laird respondeu desenhando uma tartaruga semelhante, Eastman desenhou mais duas e, no dia seguinte, eles escreveram uma história para suas Tartarugas Ninja e criaram uma revista em quadrinhos. As primeiras 1000 cópias foram produzidas em 1984. Este seria o início de uma franquia multimilionária de quadrinhos, desenhos animados, filmes, séries, jogos e brinquedos.

Nos quadrinhos e nos desenhos animados, as tartarugas são nomeadas por seu sensei, o professor ninja amante da arte Hamato Yoshi, que foi transformado em um rato (apelidado de Splinter) pelo lodo mutagênico. Ele deu o nome de seus artistas favoritos às tartarugas após encontrar um livro esfarrapado de arte renascentista no esgoto. Claro, isso não explica por que os criadores Eastman e Laird deram a seus personagens esses nomes. Originalmente, eles queriam nomes que soassem ninjas, mas não conseguiam pensar em nada que soasse japonês, então eles os nomearam com o nome de seus próprios artistas favoritos. O problemático era Bernini, um artista barroco cujo nome não rimava com os nomes dos outros três. No final, Bernini foi trocado por Donatello, outro grande artista do período renascentista cujo nome terminava convenientemente com um “o”.

Mesmo que esses nomes fossem introduzidos para o público liberalmente, esses artistas renascentistas foram alguns dos indivíduos mais icônicos dos séculos XV e XVI, desempenhando um papel fundamental na formação e evolução do pensamento artístico na época. Eles não apenas criaram uma era de pensadores, mas também desenvolveram ideias para as próximas gerações refletirem. Suas teorias de arte se tornaram pilares da arte contemporânea hoje, com cada artista se especializando em uma área específica dentro das Artes Visuais. Vamos analisar e entender isso por meio de algumas de suas obras de arte.

Donatello (Donnie)

Donato di Niccoló di Betto Bardi foi o escultor e arquiteto italiano mais importante do século XV, tendo transformado a arte da iconografia plana do período gótico ao introduzir características realistas e humanistas para esculturas. Nascido em 1386, ele foi de grande influência para os outros três. Trabalhando com pedra, bronze, madeira, argila, estuque e cera, teve uma longa e produtiva carreira em toda a Itália.

Donatello foi o primeiro escultor do período renascentista a reintroduzir esculturas nuas. Sua escultura de Davi (da história de Davi e Golias) é considerada a primeira escultura em tamanho natural totalmente nua do período renascentista. Ele também foi uma das duas primeiras pessoas, a outra sendo Filippo Brunelleschi, que inventou e incluiu o conceito de perspectiva de um ponto em seus desenhos e o conceito de baixo-relevo em suas obras arquitetônicas.

Seu homólogo tartaruga usa uma máscara roxa e empunha um cajado. A tartaruga menos violenta, Donnie prefere usar o conhecimento para resolver conflitos. Ele é um cientista, inventor, engenheiro e gênio tecnológico que, apesar de pacifista, nunca hesita em defender seus irmãos.

Leonardo (Leo)

Leonardo di Ser Piero da Vinci nasceu em Vinci, perto de Florença, em 1452. Talvez o mais célebre artista renascentista, frequentemente referido como “O Homem da Renascença”, Leonardo da Vinci foi um ser criativo em todas as suas definições. Na arte, sua obra mais famosa é, claro, a Mona Lisa, mas A Última Ceia e O Homem Vitruviano também são conhecidos mundialmente.

Mona Lisa, também conhecida como La Gioconda, está no Museu do Louvre como uma das pinturas mais bonitas e famosas já feitas. O estilo em que a pintura é feita é chamado de sfumato, uma técnica que permite que tons e cores se misturem gradualmente e dá à pintura uma calma suave. Mona Lisa também é a primeira pintura a apresentar uma perspectiva atmosférica e nunca um sorriso foi mais falado do que o dela. Sua expressão ambígua atrai o espectador ao gerar curiosidade sobre sua personalidade.

Leo, a tartaruga, tem uma máscara azul e empunha duas katanas. Tático, sensato, líder e corajoso, é o mais zeloso dos quatro, sempre assumindo a responsabilidade por seus irmãos. Embora ele tenha pouca semelhança com o artista neste aspecto, sua devoção ao sensei certamente corresponde ao respeito de Leonardo por seu professor Varocchio, com quem ele continuou a viver e trabalhar depois de se tornar um mestre.

Michelangelo (Mike)

Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni foi um mestre escultor e um pintor prolífico. Mas ao contrário da sua adorável e alegre versão tartaruga, Michelangelo era conhecido por ter um temperamento ruim e uma atitude rebelde. Ele frequentemente entrava em rixas com seus colegas artistas e mentores, mas, mesmo com seu caráter “repulsivo”, artistas e admiradores de sua arte não podiam negar seu talento e destreza. Suas esculturas eram extremamente detalhadas com a musculatura da figura e sua suavidade. Suas estátuas pareciam tão realistas que dizia-se que ele era o único capaz de conjurar a vida real da pedra.

Conhecido em sua época como Il Divino (“O Divino”), ele se gabava de sua grande habilidade como escultor e despreza ser chamado de pintor. Ele só pintou a Capela Sistina porque foi ordenado a fazê-lo pelo Papa. Mas mesmo quando pintou a Capela Sistina, ele o fez com a maior sinceridade de um artista. Ele sozinho pintou toda a capela e nenhuma figura nas pinturas nas paredes é semelhante às demais.

Michelangelo também criou sua própria versão de Davi. Seu Davi tinha uma altura de 5 metros e era feito de uma única placa de mármore. Demorou três anos para terminar a estátua e muita luta para passar pelo portão de Florença, mas o produto final foi uma obra-prima. A experiência de Michelangelo em compreender a anatomia humana é bem representada pela musculatura de cada parte do corpo, especialmente em Davi.

Dos quatro artistas, ele é considerado o mais talentoso, sendo descrito por muitos especialistas como o maior artista de sua época e até mesmo o maior artista de todos os tempos, graças à sua versatilidade artística e a qualidade das obras-primas que deixou para trás. Seu equivalente réptil usa uma máscara laranja e empunha um par de nunchakus. Mike é o menos maduro das quatro Tartarugas, e é conhecido por seu amor por pizza e por sua natureza bondosa e brincalhona (o completo oposto do verdadeiro Michelangelo, que não gostava de Leonardo e odiava Rafael ainda mais).

Rafael (Rafa)

Raffaello Sanzio da Urbino foi um pintor prolífico que dominou todos os estilos significativos do período da Alta Renascença: sfumato, perspectiva, correção anatômica e emoções humanas expressivas. Embora tenha morrido jovem aos 37 anos, ele foi incrivelmente produtivo e trabalhou na Umbria, Florença e Roma. Desde muito jovem, ele teve a capacidade de copiar os estilos de seus professores e contemporâneos e criar algo inteiramente seu que o diferenciasse dos demais.

Em Roma, suas obras mais famosas são os afrescos nas “salas de Rafael” no Vaticano (como são chamados hoje os aposentos pessoais do Papa Júlio II). Em seu retrato da Libertação de São Pedro, ele foi o primeiro artista a retratar com precisão o movimento da luz. Sua obra mais famosa, A Escola de Atenas, mostra sua capacidade de retratar características arquitetônicas; sem mencionar sua habilidade em absorver o estilo de Michelangelo pelo que viu na capela Sistina em sua representação do próprio Michelangelo como o filósofo Heráclito.

O que tornou as pinturas de Rafael tão icônicas foi sua capacidade de dar personalidade às suas figuras pintadas. Cada personagem que ele desenhou tinha uma emoção distinta para transmitir. Suas pinturas tinham uma qualidade serena e harmoniosa que era realçada pelos tons de cores vivas e pinceladas habilidosas.

A versão tartaruga de Rafael é novamente o oposto exato do pintor. Rafa usa uma máscara vermelha e empunha um par de sai. Ele tem uma natureza agressiva, pode ser feroz e sarcástico e raramente hesita em dar o primeiro soco, embora seja intensamente leal aos seus irmãos e ao sensei. Em contraste com o personagem turbulento e violento da história em quadrinhos, Rafael era conhecido por ser um ser humano extremamente carismático e charmoso, capaz de se dar bem com todos com quem trabalhava.

Leia mais artigos sobre Tartarugas Ninja e Renascença:

Michelangelo encontra Michelangelo: a famosa tartaruga ninja visita o blockbuster renascentista do Museu Metropolitano de Arte 

As Tartarugas Ninja realmente foram batizadas com os nomes dos melhores artistas renascentistas? 

As 4 Tartarugas Ninjas te ensinam tudo sobre os principais pintores renascentistas. Duvida?

Leonardo, Michelangelo, Raphael e Donatello: artistas ou personagens de Tartarugas Ninja?

Quem são As Tartarugas Ninja e por que elas receberam esses nomes?

COWABUNGA! Conheça a incrível história das Tartarugas Ninja

O Renascimento e por que mudou o mundo

A Renascença e As Tartarugas Ninja