Existem pontos de acupuntura? Acupunturistas podem encontrá-los?

Acupunturistas fizeram uma revisão sistemática e revelaram que não conseguiram localizar com segurança pontos de acupuntura. Não é de admirar: os pontos não existem.

Por Harriet Hall
Publicado na Science-Based Medicine

Acupunturistas estão começando a se questionar. Uma revisão sistemática crítica da exatidão e precisão na localização do ponto de acupuntura foi publicada recentemente no Journal of Acupuncture and Meridian Studies. Eles ressaltaram que “a precisão da localização dos pontos é essencial para tratamentos seguros, eficazes e confiáveis e para resultados válidos de pesquisas reprodutíveis”. Bem, ora! É claro que é! Há quanto tempo a acupuntura é praticada? Por que agora eles estão começando a se perguntar se conseguem realmente colocar uma agulha de acupuntura no lugar certo?

Os 14 estudos analisados mostraram “variação considerável” na localização de acupontos entre acupunturistas médicos qualificados. O “método direcional” foi considerado significativamente inexato e impreciso em todos os estudos que avaliaram esse método. Eles se perguntaram sobre o papel da educação, treinamento e experiência e sugeriram que esses fatores deveriam ser avaliados em estudos futuros.

De acordo com a hipótese da acupuntura, os pontos de acupuntura (acupontos) estão localizados principalmente nos meridianos, e estimular esses pontos com a inserção de uma agulha de alguma forma influencia o fluxo de qi, o que, por sua vez, melhora a saúde do paciente (como tudo isso funciona é muito confuso). Acupontos, meridianos e qi não são reconhecidos por anatomistas ou fisiologistas e é possível presumir que representem mitos pré-científicos. Existem muitos sistemas diferentes de acupuntura, cada um dos quais com uma lista diferente de acupontos. Em 1991, um Grupo Científico da Organização Mundial da Saúde, composto por especialistas em acupuntura de todo o mundo, publicou uma proposta de nomenclatura listando 361 pontos de acupuntura, 14 principais meridianos, 8 meridianos extras, 48 pontos extras e linhas de acupuntura no couro cabeludo. Os diagramas dos pontos de acupuntura do couro cabeludo sobrepostos nas zonas funcionais do cérebro (figuras 6 e 7) são intrigantes. Eles estão propondo uma nova versão da frenologia?

Um “ponto” não pode muito bem ser uma estrutura anatômica. Os pontos são unidimensionais. A ponta de uma agulha de acupuntura é tridimensional e pode abranger um ponto, mas qual a probabilidade de um acupunturista atingir esse ponto com segurança? O que determinaria a profundidade da inserção da agulha? Como isso se relacionaria com a acupuntura auricular e a eletroacupuntura?

Supondo que os acupontos e os meridianos são reais, eles não variariam de local da mesma maneira que outras estruturas anatômicas? Durante o desenvolvimento embriológico, o DNA fornece uma receita geral, mas não instruções precisas. Basta olhar para as veias na parte de trás de suas mãos: a localização das veias em suas duas mãos não é idêntica e elas certamente não coincidem com a localização das veias em outras pessoas. Existem diagramas de dermátomos mostrando quais áreas da pele são inervadas por qual nervo espinhal. Há uma variação considerável. Uma área da pele suprida por T6 (sexto nervo espinhal torácico) em um indivíduo pode ser suprida por T5 ou T7 em outro indivíduo. Existem 12 pares de costelas, mas cerca de 1 em 200-500 pessoas têm uma costela cervical extra. Algumas pessoas têm uma costela bifurcada. A maioria de nós tem 5 vértebras lombares, mas alguns têm 6. Algumas pessoas nascem com um rim solitário em vez do par habitual. Eu poderia continuar… Então, por que devemos assumir que os acupontos são predizíveis?

Mesmo quando você sabe onde está um vaso sanguíneo, pode ser complicado colocar uma agulha no lugar certo para tirar sangue. Como estudante de medicina, aprendi a extrair sangue da artéria radial no pulso para realizar testes de gases no sangue arterial. Sentia as pulsações com cada um dos dois dedos e tentava direcionar a agulha entre eles onde sabia que a artéria deveria estar, mas às vezes ainda não conseguia obter uma amostra de sangue. E todo flebotomista pode dizer que nem sempre é fácil obter sangue de uma veia grande e visível. Portanto, acho difícil acreditar que os acupunturistas possam colocar suas agulhas exatamente no lugar certo e na profundidade certa.

Os acupontos são localizados por pontos de referência anatômicos e por medições desses pontos de referência. Imagine uma pessoa massivamente obesa de 200 quilos com uma barriga que chega até os joelhos. Tentar localizar um acuponto naquela barriga imensa com referência a pontos de referência anatômicos parece uma causa perdida.

Esse estudo representa a Ciência das Fadas dos Dentes da maneira mais ridícula possível. Eles tentaram avaliar a confiabilidade dos pontos de localização que nunca foram encontrados. Um exercício de futilidade, se você me perguntar.

O relatório da OMS admite:

“Uma lista autorizada de quais condições podem ser efetivamente tratadas pela acupuntura só pode ser elaborada após cada reivindicação de eficácia ter sido examinada e verificada ou rejeitada. Não há, até agora, nenhuma lista aceita.”

Isso diz muito. Após séculos de prática, os acupunturistas ainda não conseguem concordar com uma única alegação de eficácia. A acupuntura é um placebo teatral.

Conclusão: os acupontos não existem e, mesmo se existissem, os acupunturistas não conseguiram encontrá-los.

CONTINUAR LENDO