Não existe “Lei da Atração”

29
6017

Por Robert Todd Carroll
Publicado na The Skeptic’s Dictionary

A Lei da Atração é uma crença da Nova (Obscura) Era de que a disposição mental pode atrair circunstâncias e eventos externos semelhantes. Em outras palavras, suas intenções e atitudes mentais fariam com que coisas e pessoas tentassem realizá-las. A certo nível, isso é uma verdade trivial. Nós geralmente saímos com pessoas que pensam como nós, partilham de nossos valores e evitamos pessoas que discordam conosco em assuntos importantes e não compartilham de nossos valores. Mas um momento de reflexão revela que essa “lei” é falsa.

Vendedores não atraem outros vendedores; eles atraem compradores, ao menos que estejam usando o esquema MLM. Sonhadores preguiçosos não atraem outros sonhadores preguiçosos. Eles atraem charlatões com grandes sorrisos e muitas promessas. Pessoas vulneráveis não atraem outras pessoas vulneráveis; elas atraem vampiros e abutres que tiram vantagem da sua angústia.  É uma coisa muita escorregadia para ter algum conteúdo significativo se contradições óbvias não suporta-na.

Um dos grandes fornecedores dessa crença é Gary Zukav. De acordo com ele:

Cada personalidade atrai para si personalidades com a frequência de consciência. A frequência de raiva atrai a frequência de raiva, a frequência de ganância atrai a ganância e assim por diante. Essa é a lei da atração. Negatividade atrai negatividade, assim como amor atrai amor. Portanto, o mundo de uma pessoa com raiva é cheio de pessoas com raiva, o mundo de pessoas gananciosas é cheio de pessoas gananciosas e o mundo de uma pessoa amorosa é cheio de pessoas amorosas.

A chamada Lei da Atração é um tipo de lei que muitas pessoas acham atrativa. Ela provê a ilusão de que elas possuem o controle da própria vida. Tudo o que eu tenho de fazer é mudar minhas atitudes e intenções e eu irei atrair dinheiro como um ímã (ou perder peso, ou qualquer coisa que você queira alcançar). Se não funcionar, é minha culpa pois não mudei as minhas atitudes e intenções genuinamente. Parece familiar? Isso não é o que curandeiros pela fé dizem quando não conseguem curar alguém? VOCÊ NÃO TEVE FÉ O SUFICIENTE!

Se você quer ser bem sucedido em uma coisa, faça um plano de ação! Liste o que você quer alcançar. Liste o que você tem de fazer para alcançar seus objetivos. Especifique como você irá medir o sucesso para cada passo alcançado. Qualquer coisa da lista que requer que você espere passivamente por alguém deve ser eliminado antes de você continuar! Se você não pode conseguir realizar nada sem a ajuda dos outros, então escolha as melhores pessoas possíveis para te ajudar e escute-as quando eles oferecerem-te conselhos. Baixe a lista e cheque cada item. Se um item não pôde ser completado, não culpe os outros. Retorne com um plano alternativo. Então, mova-se para o próximo item. Quando você completar todos os objetivos, faça outra lista e comece novamente. Alcançar a meta geralmente não é tão satisfatório quanto lutar para alcançá-la. Enfim, alguns objetivos não valem a pena serem alcançados. Você fará bem em reexaminá-los regularmente e eliminar os que não prestam.

E se lembre: Quem lhe disser que você tem o segredo para a alegria, a saúde, o dinheiro, as relações, o amor, a juventude e para qualquer coisa de forma ilimitada está mentindo. Então, tente não ser enganado!

Pergunte-se: Quem se atrai por pessoas que oferecem ajuda assim? Eles atraem pessoas como elas? Não! Eles atraem pessoas que não são como elas, mas querem ser o que as pessoas querem. E isso é uma pena.

A Lei da Atração originou-se no século 19 em um movimento chamado de Movimento Novo Pensamento. Um proponente da ideia foi William Walker Atkinson (1862-1932), que atribuía a recuperação de vários desastres financeiros, físicos e psicológicos à crença. Ele escreveu um número de livros populares sobre isso. A crença no poder da crença tem sido uma mensagem bastante atrativa para milhões de pessoas por centenas de anos, embora não haja sequer nenhuma evidência para suportar isso, apenas anedóticas. Tudo isso, de acordo com a ciência, não passa de efeito placebo. Testes científicos relacionados ao poder da crença na cura de doenças sérias foram totalmente negativos. Aqueles que alegam que algo deu certo em virtude de orações e de pensamentos positivos são motivados mais pelo desejo de acreditar do que pela real evidência. O mesmo é dito para testes científicos da habilidade que as pessoas têm de afetar algo físico usando apenas o pensamento.

CONTINUAR LENDO