Pesquisadores criam a primeira perna biônica controlada somente por comandos mentais

Publicado no Gizmodo

Quando Zac Vawter perdeu a perna em um acidente de moto há alguns anos, ele pensou que nunca mais andaria como uma pessoa normal novamente. Mas hoje, com 32 anos, o engenheiro de software, finalmente pode subir as escadas, mexer os dedos dos pés e passear pelos parques. A única diferença é que uma de suas pernas é um robô controlado mentalmente.

Vawter é um “piloto de testes” para um estudo financiado pelo exército sobre o mais recente uso da tecnologia no desenvolvido de membros biônicos. A perna que foi montado para ele foi desenvolvida no Rehabilitation Center of Chicago’s Center for Bionic Medicine – representando uma grande parcela do estudo e desenvolvimento para o futuro nas próteses de reabilitação. “Na minha mente, ainda é a mesma coisa em termos de mover o tornozelo para baixo ou para cima, ou estender a perna para a frente ou para trás”, disse Vawter. “É só andar como eu normalmente andava. Não é um treinamento especial ou botões ou truques. Isso é uma grande parte do que eu acho que é inovador e fenomenal sobre este trabalho. “

O membro está perto do impecável com apenas uma taxa de 1,8% de erros. Ele está ligado à perna através de dois nervos que foram religados para o tendão e ligadas ao membro através de sensores. Quando Vawter pensa em se levantar, o membro levanta. Quando ele pensa em dobrar o joelho, o joelho se dobra. E é isso – sem fios extras de conexão a um computador e nenhum engenheiro adicional direcionando o caminho. Este não foi o caso do protótipo usado para subir a WillisTower em Chicago no ano passado. Esse dispositivo tinha uma gama limitada de movimento e exigia um engenheiro para operá-lo.

O Exército, até agora, investiu US $ 8 milhões no projeto. Esta pesquisa irá ajudar os mais de 1200 soldados que perderam seus membros nos conflitos no Iraque e no Afeganistão.

CONTINUAR LENDO