Primeiros gases alienígenas detectados a partir de um cometa interestelar

Créditos: Gemini Observatory / NSF / AURA.

Por Daniel Clery
Publicado na Science

Algumas semanas após a descoberta do segundo cometa de fora do nosso sistema solar (o primeiro foi o ‘Oumuamua em forma de charuto), astrônomos detectaram gás sendo emitido a partir de sua superfície – a primeira dica do que um viajante interestelar é feito.

Infelizmente, não é criptonita, ou mesmo unobtanium, mas cianogênio, uma molécula simples, mas tóxica, composta de dois átomos de carbono e dois de nitrogênio. O cometa, apelidado de 2I/Borisov, foi descoberto em 30 de agosto pelo astrônomo ucraniano Gennadiy Borisov. Observações posteriores mostraram que ele estava se movendo em uma órbita não vinculada pela gravidade do Sol. Desde então, muitos astrônomos estudaram o objeto, incluindo uma equipe, que usou o William Herschel Telescope (WHT), de 4,2 metros, nas Ilhas Canárias da Espanha.

O 2I/Borisov está muito perto do Sol no céu, portanto, observá-lo é difícil, por conta do brilho do astro. Após uma tentativa fracassada de reunir luz suficiente do cometa para obter um espectro, a equipe do WHT conseguiu em 20 de setembro. Em um artigo submetido ao Astrophysical Journal Letters, a equipe diz que na parte ultravioleta do espectro, havia um aumento claro em um comprimento de onda conhecido por ser emitido pelo gás cianogênio, sugerindo que, conforme 2I/Borisov é aquecido pelo calor do Sol, o gás evapora.

O cianogênio é frequentemente encontrado em torno de cometas originários de nosso próprio sistema solar; portanto, o local de onde vem 2I/Borisov, provavelmente, não é muito diferente. No entanto, como o visitante está em direção a sua aproximação mais próxima do Sol no início de dezembro – e continua a aquecer -, observadores estarão atentos à eliminação de gases de outros ingredientes exóticos.

CONTINUAR LENDO