Religião em declínio, secularismo em ascensão

Créditos pela Imagem: Artur Medeiros / Universo Racionalista.

Por Phil Zuckerman
Publicado no Huffpost Religion

Em uma onda contínua de estudos recentes, olhando para vários países ao redor do mundo, todos mostram a mesma coisa: a religião está em declínio. Da Escandinávia à América do Sul e de Vancouver para Seul, o mundo está enfrentando uma onda sem precedentes de secularização. De fato, como confirma um relatório recente do National Geographic, a mais nova religião do mundo é: Sem Religião.

Considere os fatos mais recentes:

  • Pela primeira vez na história norueguesa, há mais ateus e agnósticos do que os crentes em Deus;
  • Pela primeira vez na história britânica, existem hoje mais ateus e agnósticos do que os crentes em Deus. E as taxas de frequência à igreja no Reino Unido estão em baixa, menos de 2% de homens e mulheres frequentam a igreja em um domingo qualquer;
  • Uma pesquisa recente descobriu que 0% dos islandeses acreditam que Deus criou a Terra. Isso está correto: 0%. E considerando que há 20 anos, 90% dos islandeses alegou ser religioso, hoje menos de 50% afirmam ser;
  • Cerca de 70% dos holandeses não são afiliados a nenhuma religião e, aproximadamente 700 igrejas protestantes e mais de 1000 igrejas católicas podem ser fechadas dentro dos próximos anos em todo o país, devido à baixa participação;
  • De acordo com um recente eurobarómetro, 19% dos espanhóis, 24% dos dinamarqueses, 26% dos eslovenos, 27% dos alemães e belgas, 34% dos suecos e 40% dos franceses, afirmam não acreditar em “qualquer tipo de espírito, Deus ou força vital”;
  • Nos Estados Unidos, algo entre 23% e 28% dos adultos americanos não têm nenhuma afiliação religiosa e os chamados “sem religião” não estão apenas crescendo em número, mas eles estão se tornando cada vez mais seculares em suas crenças e comportamentos;
  • Entre a geração y – americanos na faixa dos 20 anos – mais de 35% são não-religiosos, constituindo o maior coorte de homens e mulheres seculares na história da nação;
  • No Canadá, em 1991, 12% dos adultos afirmaram não ter “nenhuma religião” – hoje isso chega a 24%;
  • Na Austrália, 15% da população afirmou não ter religião em 2001, hoje o número chega a 22%;
  • Na Nova Zelândia, 30% da população declarou não ter nenhuma religião em 2001, mas esse número subiu para 42% em 2013;
  • Na América do Sul, 7% de homens e mulheres no México, 8% no Brasil, 11% na Argentina, 12% em El Salvador, 16% no Chile, 18% na República Dominicana e 37% no Uruguai são não-religiosos – são as mais altas taxas de secularidade latino-americana já registrada;
  • No Japão, cerca de 70% dos adultos afirmaram manter crenças religiosas pessoais há sessenta anos, mas hoje, esse número caiu para apenas cerca de 20%; Em 1970, havia 96.000 templos budistas em todo o Japão, mas em 2007, havia 75.866 – e cerca de 20.000 deles eram de um grupo de pessoas encarregadas de organizá-lo, sem sacerdotes residentes. Na década de 1950, mais de 75% dos tinham um kamidana (altar xintoísta), mas em 2006 este número diminuiu para 44% em todo o país e apenas 26% nas grandes cidades;
  • Enquanto 11% dos sul-coreanos eram ateus em 2005, que aumentou para, pelo menos, 15% anos mais tarde e a porcentagem de sul-coreanos que se descrevem como religiosos caiu de 58% para 52% na última década;
  • Mais de 50% dos adultos chineses são seculares (embora em ditaduras comunistas seja difícil estimar uma porcentagem válida de religiosidade das pessoas);
  • Na África, a religiosidade continua alta, não há uma indicação crescente da irreligião: mais de 5% em Gana afirmam não ter nenhuma religião, 9% das pessoas em Madagascar e Tanzânia e 11% das pessoas no Gabão e Suazilândia são não-religiosos;
  • Aproximadamente, 20% dos bechuanos afirmam agora não ter qualquer religião;
  • Mais de 20% dos jamaicanos são não-religiosos.

Muitas outras nações contêm populações significativas de pessoas não-religiosas, como a Eslovênia, Israel, Finlândia, Hungria, Rússia, Azerbaijão, Cazaquistão, etc. -, mas aqui não é possível um colapso de nação por nação. Basta dizer que a maioria dos países têm experimentado notáveis graus de secularização durante o século passado, e pela primeira vez na história do mundo, agora existem muitas sociedades onde ser secular é mais comum do que ser religioso.

Embora apoiar abertamente o ateísmo seja, por vezes, punível em alguns países de maioria muçulmana – de fato, em 13 nações islâmicas, o ateísmo é um crime que justifica a pena de morte – ainda existem inúmeros sinais do crescimento do secularismo em todo o mundo muçulmano, embora os números confiáveis sejam difíceis de encontrar.

Finalmente, o grande número de homens e mulheres seculares no planeta Terra é sem precedentes – de acordo com as estimativas mais recentes do Pew Research Center, havia mais de 1.1 bilhões de não-religiosos no mundo em 2010, e esse número deverá aumentar para mais de 1.2 bilhões até o ano de 2020.

Será que essa onda de secularização continuará a aumentar sobre o planeta Terra? É difícil dizer com certeza.

Por um lado, sabemos que a socialização é o motor número um que impulsiona a religiosidade: os filhos são criados para se tornarem religiosos por seus pais religiosos. E assim, à medida que mais e mais pessoas deixarem de ser religiosos, é bem provável que eles não vão criar os seus filhos para serem religiosos e, portanto, a disseminação inter-geracional da religião irá enfraquecer nas próximas décadas. Além disso, a secularização está altamente correlacionada com o uso e acesso à Internet. E assim, como a web se torna mais onipresente na vida de mais pessoas, o secularismo continuará a crescer.

Por outro lado, as pessoas religiosas têm mais filhos do que as pessoas seculares. E essas nações hoje com as mais altas taxas de natalidade são as mais religiosas, enquanto que as nações com as mais baixas taxas de natalidade tendem a estar entre as mais seculares – então, demograficamente, em termos de que tem mais filhos, os religiosos têm a vantagem da reprodução. E é por isso que, de acordo com as previsões mais recentes do Pew, o crescimento da secularidade provavelmente irá nivelar dentro de algumas décadas, enquanto que o Islã irá continuar crescendo, tornando-se a maior religião do mundo em 2050.

Mas, por agora, as igrejas estão fechando em todo o mundo, a fé está desaparecendo e homens e mulheres que vivem suas vidas de acordo com os princípios humanistas e valores seculares estão em ascensão.

CONTINUAR LENDO
Artigo anteriorIntrodução à Astrovirologia
Próximo artigoDeclaração de Oxford sobre a Liberdade de Pensamento e de Expressão
Douglas Rodrigues Aguiar de Oliveira
Sou fundador da Universo Racionalista | Graduando em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade de Franca | Especialista em Fundamentals of Computing Network Security ( • Design and Analyze Secure Networked Systems • Basic Cryptography and Programming with Crypto API • Hacking and Patching • Secure Networked System with Firewall and IDS ) pela University of Colorado | Especialização em andamento em Cybersecurity ( • Computer Forensics • Network Security • Cybersecurity Fundamentals • Cybersecurity Risk Management • Cybersecurity Capstone ) pela Rochester Institute of Technology | Certificação em Information Security Specialist ( • InfoSec Foundation • Ethical Hacking Essentials • Computer Forensics Foundation ) pela ITCERTS | Certificação em Information Security Analyst ( • Information Security Policy Foundation • Vulnerability Management Foundation ) pela ITCERTS | Cursei integralmente as disciplinas teóricas em Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Franca, mas não realizei o estágio supervisionado para a obtenção do diploma de Ensino Superior | Especialista em Journey of the Universe: A Story for Our Times pela Yale University | Colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade | Colunista da Climatologia Geográfica | Membro da Rede Brasileira de Astrobiologia | Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes e LinkedIn.