Uma breve história da ciência no século das Luzes

8
4288
A Lição de Anatomia do Dr. Nicolaes Tulp, 1632.

A ciência, não a religião, foi vista cada vez mais como a chave do conhecimento a partir do século XVI. O iluminismo no século XVII foi muito além da filosofia. O conhecimento divulgado pelas enciclopédias tornou acessível a compreensão do mundo através da razão. O século das luzes também marcou a ciência com o auge da revolução científica e a criação do método científico. O século XVIII mostrou que esse método funcionava!

A Astronomia teve destaque com a descoberta do planeta Urano (1781), pelo inglês Herschel, que também descobriu as galáxias (1785). A mecânica (leis dos movimentos dos corpos) e a ótica (propriedades da luz) de Isaac Newton (1642-1727) marcaram a Física. O inglês Gray (1729) descobriu que havia corpos que conduziam e corpos que não conduziam energia elétrica. A conhecida lei das forças eletrostáticas, de cargas elétricas que se atraem, foi descoberta por Coulomb em 1785. A química tornou-se científica, separando-se de vez da alquimia. Quem muito contribuiu para isso foi o francês Lavoisier, criador da química quantitativa, ou seja, do uso das pesquisas químicas. Foi assim que ele estabeleceu sua famosa lei (1789): num sistema isolado do exterior, nenhuma transformação física ou química altera a quantidade total de massa. Do mesmo modo, Lavoisier destruiu a teoria do flogisto. Acreditava-se que um corpo em combustão liberava uma substância chamada flogisto. Lavoisier pesou as massas antes e depois de se queimarem e descobriu que não havia flogisto nenhum. A combustão era a combinação do elemento com o ar. Também foi Lavoisier que descobriu (1794) o oxigênio e o nitrogênio no ar atmosférico e criou a nomenclatura química que é a base da atual. O inglês Cavendish descobriu que a água era formada a partir do oxigênio e do hidrogênio (1784).

Na Biologia o sueco Lineu criou a primeira grande classificação das espécies e famílias dos seres vivos. O italiano Galvani (1771) mostrou que os impulsos nervosos no organismo animal são de natureza elétrica. No campo da medicina, o francês Amyand (1736) realizou a primeira cirurgia bem-sucedida de apendicite. O médico inglês Jenner descobriu a vacina contra a varíola (1796), uma doença que matava milhões de pessoas em todo o mundo. Em 1728, o francês Fouchard publicou a obra que deu início à odontologia científica: mostrava como tratar cáries (escavando o dente e vedando-o com uma placa metálica) e botar dentaduras.

O século das luzes também foi o século de ascensão da classe mais revolucionária da época: a burguesia. A relação entre o surgimento da ciência moderna e a burguesia foi o fato da mesma ser patrocinadora das descobertas científicas na busca de separar a fé da razão e os assuntos da Igreja dos da ciência. O Antigo Regime era também um regime baseado no privilégio sustentado por explicações religiosas que tanto prejudicavam os ideais burgueses quanto científicos. Se tratando dessa separação Galileu foi um dos pilares principais da criação do método científico e da explicação dos fenômenos do nosso mundo através da ciência e não da religião. A tradição e a religião não serão mais fontes de conhecimento científico. As fontes de conhecimento científico são a experiência e a observação. A partir de então a linguagem da ciência será a matemática. Essa fase da revolução científica influenciou decisivamente os séculos seguintes tanto economicamente quanto político e intelectual.

CONTINUAR LENDO