Uma defesa à Hahnemann, mas não à Homeopatia

5
5258

Uma das missões do Universo Racionalista, como um portal que combate o obscurantismo, é criticar fortemente as chamadas pseudociências. Mas será que elas sempre puderam ser chamadas de pseudociências? Será que todas elas surgiram de crenças infundadas, asneiras ou em algum momento essas ideias pareciam fazer algum sentido? Os homens que desenvolveram as pseudociências eram mal intencionados ou apenas equivocados?

Durante a história da ciência surgiram diversas hipóteses que para suas respectivas épocas absurdas mas hoje sabemos que são verdadeiras. Por exemplo, antes de Galileu fazer seus experimentos sobre a queda dos corpos ninguém em sã consciência iria supor que o tempo de queda de dois corpos de massas diferentes a mesma altura seriam iguais. Isso parecia absurdo, mas felizmente alguém decidiu verificar e hoje sabemos que é verdade.

Mas também apareceram outras hipóteses que pareciam ser completamente plausíveis e que hoje sabemos que são completamente absurdas. Por exemplo, Leonardo da Vinci gastou anos de sua vida tentando desenvolver uma máquina que fosse capaz de gerar eternamente, máquina de moto perpétuo, pois em sua época era algo que parecia ser completamente plausível, não havíamos desenvolvido a termodinâmica ainda para saber que não é possível a existência de um sistema físico sem dissipações. Mais homens brilhantes gastaram seu tempo tentando coisas que hoje sabemos não fazer sentido algum. Newton tentou transformar chumbo em ouro através da alquimia e Kepler era astrólogo.

Note que na época essas que nessas épocas isso é considerado fazer ciência e de fato eram, esses homens estavam tentando produzir conhecimento científico e portanto eram cientistas. Mas e os caras de hoje que permanecem tentando criar máquinas de moto perpétuo e achar a pedra filosofal? Esses não são cientistas, mas sim pseudocientistas, pois insistem em seguir um caminho que já foi demonstrado não ser verdadeiro. Criam teorias extraordinárias, que em sua grande maioria não podem sequer ser falseadas e usam e abusam de argumentos de autoridade, sempre evocando cientistas brilhantes como os que citei anteriormente.

Observação: A partir deste ponto vou falar de Hahnemann, o criador da Homeopatia. Nem todas as informações que colocarei aqui são verdade, alias não posso afirmar isso sobre nenhuma delas. São apenas conjecturas baseadas no contexto histórico em que ele viveu.

Não vou falar aqui dos princípios básicos da homeopatia. Recomendo a leitura do artigo Uma introdução à Homeopatia, caso não conheça nada sobre o assunto.

Christian Friedrich Samuel Hahnemann, viveu entre 1755 e 1843. Na época a medicina e a farmacologia eram muito pouco desenvolvidas, sob nossa ótica atual não seriam nem consideradas ciências. Os métodos utilizados eram muito piores e muito mais absurdos do que a homeopatia e o mais comum era o de fazer sangrias. As sangrias consistiam em fazer cortes na pele dos enfermos e deixa-los sangrando até que o mal passasse, como se o mal fosse causado apenas por uma falha no sangue.

Após seus experimentos com sua nova técnica, a Homeopatia, Hahnemann chegou a conclusão que essa era uma forma eficaz de curar doenças. Ou seja, ele viu que uma grande parte dos pacientes que receberam tratamento com seus medicamentos se curou. Hoje sabemos que a homeopatia não funciona e o porque, por isso tendemos a inferir imediatamente que Hahnemann era um grande charlatão que forjou todos os resultados de seus experimentos. Mas se pararmos para pensar um pouco não é impossível que ele tenha realmente verificado que aqueles que recebiam a homeopatia era curados! Mas não por causa da homeopatia mas sim porque não eram feitas sangrias neles! As sangrias na maioria das vezes matavam os enfermos antes da doença! Muitas doenças sequer eram capazes de matar, poderiam ser curadas apenas com repouso e higiene, ou seja, a ação do sistema imunológico (que sequer era conhecido).

Hahnemann pode ter apenas identificado uma correlação mas errado a causa, isso porque incluiu na sua análise apenas duas variáveis: Estado do paciente e Consumo de medicamento homeopático. Não incluiu tempo de repouso, condições de higiene etc. Seus pacientes não eram curados pela homeopatia, eles só não eram mortos pelas sangrias e o que os curavam eram seus próprios sistemas imunológicos.

Para explicar o funcionamento da homeopatia Hahnemann propôs que a água possui uma memória. Ai você pode dizer que ai ele extrapolou, que isso não faz sentido nenhum. Sim, mas na época fazia tanto sentido quando dizer que há características hereditárias em ervilhas. Não havia nada de errado em afirmar isso, ele achou que viu um efeito e atribuiu a ele um mecanismo desconhecido. Assim como Mendel e Darwin fizeram, a diferença é que os mecanismos necessários para corroborar suas teorias foram encontrados mas os de Hahnemann não. Além é claro de ter sido demonstrado que os efeitos de cura que ele observou não existem.

Hoje sabemos que a homeopatia não funciona, mas ainda há aqueles que insistem neste campo. Esses são pseudocientistas, insistem a eficácia do método, apelam para explicações esdrúxulas como a ação de forças sobrenaturais e descrições absurdas do suposto mecanismo de memória da água que envolvem geometria de moléculas e etc.

Minha conclusão é que bem provável que Hahnemann tenha sido um cientista que cometeu um grande equívoco devido as circunstâncias da época. Porém, seu equívoco, ao contrário de muitos outros, não foi descartado de vez e infelizmente deu origem a uma pseudociência.

CONTINUAR LENDO