Morre Steven Weinberg, físico ganhador do Prêmio Nobel

O físico unificou duas das quatro forças fundamentais.

0
85
Steven Weinberg (à direita) junto com seu colega Sheldon Glashow, que também ganhou o Prêmio Nobel de Física em 1979. Créditos: Bettmann / Getty Images.

Por Tia Ghose
Publicado na Live Science

Steven Weinberg, físico ganhador do Prêmio Nobel cujo trabalho ajudou a unir duas das quatro forças fundamentais, morreu aos 88 anos, anunciou a Universidade do Texas em Austin (UT Austin, EUA) no sábado (24 de julho).

Seu trabalho foi fundamental para o Modelo Padrão, a teoria da física abrangente que descreve como as partículas subatômicas se comportam. Seu artigo seminal foi um curto estudo de três páginas publicado em 1967 na revista Physical Review Letters e intitulado “A Model of Leptons” (Um Modelo de Léptons, na tradução livre). Nele, ele previu como as partículas subatômicas conhecidas como W, Z e o famoso bóson de Higgs deveriam se comportar – anos antes de essas partículas serem detectadas experimentalmente, de acordo com um comunicado da UT Austin.

O estudo também ajudou a unificar a força eletromagnética e a força fraca e previu que as chamadas “correntes neutras fracas” determinariam como as partículas interagiriam, de acordo com o comunicado. Em 1979, Weinberg e os físicos Sheldon Glashow e Abdus Salam ganharam o Prêmio Nobel de Física por este trabalho. Ao longo de sua vida, Weinberg continuaria sua busca por uma teoria unificada que unisse as quatro forças, de acordo com o comunicado.

Weinberg também tinha um talento especial para tornar a física acessível a todos. Seu livro “Os Três Primeiros Minutos” (1977, publicado no Brasil pela Editora Guanabara Dois) descreveu, em linguagem simples e emocionante, aqueles primeiros minutos da infância do universo e detalhou o processo da expansão do universo.

“O professor Weinberg desvendou os mistérios do universo para milhões de pessoas, enriquecendo o conceito de natureza da humanidade e nossa relação com o mundo”, disse Jay Hartzell, presidente da UT Austin, em comunicado. “De seus alunos a entusiastas da ciência, de astrofísicos a autoridades públicas, ele fez uma enorme diferença em nossa compreensão. Em suma, ele mudou o mundo”.

Weinberg nasceu em Nova York em 1933. Seu amor pela ciência começou com um kit de química, de acordo com o comunicado. Aos 16 anos, ele decidiu estudar física teórica, escreveu Weinberg no site do Prêmio Nobel. Ele frequentou a Universidade Cornell para seu trabalho de graduação e obteve um doutorado em física pela Universidade de Princeton em 1957.

Ele se casou com sua esposa Louise em 1954 e teve uma filha, Elizabeth, em 1963, de acordo com o site do Prêmio Nobel. Em 1982, Weinberg mudou-se para UT Austin, onde foi professor de física e astronomia por décadas.

Nenhuma causa da morte foi divulgada, mas o físico ficou hospitalizado por semanas, de acordo com o The Washington Post.