5 tumbas egípcias incrivelmente preservadas são descobertas em Sacará

As tumbas datam de 4.200 anos atrás.

0
387
Uma pintura na parede encontrada em uma das tumbas é vista nessa foto. A escrita hieroglífica pode ser vista na parte superior da pintura. Crédito: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito.

Por Owen Jarus
Publicado na Live Science

Arqueólogos no Egito descobriram cinco tumbas bem preservadas e decoradas com cores, datadas de cerca de 4.200 anos atrás, que foram escavadas ao lado de uma pirâmide em Sacará, anunciou o Ministério do Turismo e Antiguidades egípcio em um comunicado.

As tumbas têm inscrições hieroglíficas que fornecem informações sobre as pessoas que foram sepultadas lá, bem como pinturas nas paredes que retratam uma variedade de imagens, incluindo pessoas, vasos, comida, padrões geométricos coloridos e o que parece ser um inseto voador.

As tumbas datam da sexta dinastia (cerca de 2323 a 2150 a.C.) ou do período seguinte, conhecido como Primeiro Período Intermediário (2150-2030 a.C.). Durante a sexta dinastia, o antigo Egito ainda estava unido, mas sofrendo com a seca, que ameaçava a estabilidade do país. O Egito então entrou em crise durante o Primeiro Período Intermediário, quando o governo central entrou em colapso e o país se dividiu e foi governado por vários governantes locais.

A descoberta das tumbas contribui para a rica história de Sacará, uma necrópole que foi usada ao longo da história do Egito antigo e contém inúmeras pirâmides, incluindo a Pirâmide de Djoser. Todas as cinco tumbas foram encontradas a noroeste da pirâmide do faraó Merenrê I, que reinou por volta de 2255 a 2246 a.C. durante a sexta dinastia. A pirâmide está em condições precárias e o trabalho pode ter sido interrompido antes de ser concluído. Dada a localização e a data das tumbas, é possível que algumas das pessoas sepultadas nessas tumbas tenham trabalhado para Merenrê I.

O fundo de um poço de uma das tumbas é visto nessa imagem. Crédito: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito.

Inscrições hieroglíficas no local dizem que uma das tumbas pertence a uma pessoa chamada “Iry”, que parece ter sido um funcionário do alto escalão. Iry foi enterrado em um grande sarcófago de calcário que agora está em pedaços, de acordo com o comunicado. Arqueólogos estão reunindo o sarcófago e quaisquer restos humanos encontrados.

Um dos outros túmulos parece pertencer à esposa de um homem chamado “Yaret”, enquanto outro túmulo pertence a um homem cujo nome pode ser traduzido como “Pepi Nefhany”, que pode ter sido um sacerdote do alto escalão. Uma inscrição na tumba diz que Pepi Nefhany era o supervisor da “grande casa”, o que pode ser uma referência a um palácio onde residia o faraó.

Outra tumba era para uma mulher cujo nome poderia ser traduzido como “Betty” ou “Petty” – uma sacerdotisa que servia Hator, uma deusa associada ao amor e à fertilidade. A quinta tumba era para uma pessoa chamada “Hannu”, que servia como supervisora ​​do palácio real, segundo o comunicado.

As escavações e a análise dos túmulos estão em andamento. Muitas descobertas foram encontradas em Sacará nos últimos anos, incluindo mais de 100 múmias lindamente preservadas encontradas em poços funerários, bem como a descoberta da tumba de um alto funcionário de Ramsés II.