Quão estúpido David Rose acha que você é?

0
918

Escrito no blog Open Mind

A Terra está se aquecendo, rápido. Este ano estamos destinados a estabelecer um novo recorde como o ano mais quente já registrado… pelo terceiro ano consecutivo. O nível do mar agora é alto o suficiente para que as cidades costeiras gastem centenas de milhões de dólares para combater inundações que chegam mesmo quando não há chuva, vento ou tempestade… vindo apenas da maré alta. As temperaturas árticas ultimamente têm estado quentíssimas, não apenas quente, mas quentíssimas, enquanto o gelo marinho no Ártico e na Antártida está, como nunca se viu antes, incrivelmente baixo para esta época do ano. O gelo da Groenlândia está desaparecendo diante de nossos olhos. As ondas de calor estão em ascensão, matando milhares. A seca persistente aflige o sudoeste dos EUA, mas em outras áreas, quando a chuva cai, ela é mais pesada do que costumava ser, causando inundações que deveriam ocorrer uma vez a cada mil anos, onde tornaram-se muito mais comuns. O clima tem mudado, não para melhor, e ainda está [mudando].

David Rose, que escreve para o U.K. Daily Mail, não quer que você acredite nisto. Ele quer que você pense que o aquecimento mundial que temos visto por décadas agora de alguma forma, magicamente, chegou ao fim… que ele mostrou algum tipo de “parada”. Para dar essa impressão, ele teve que ir muito longe, para um conjunto de dados a partir dos quais ele pode escolher um período de tempo em que pode se concentrar em um evento recente, para que ele possa culpar o calor recorde deste ano em algo diferente da ocorrência humana e de nossas emissões de gases de efeito estufa. Graças às muitas muitas organizações que publicam dados climáticos, existem muitos conjuntos de dados para se escolher… por isso, não é nenhuma surpresa que ele tenha encontrado um.

Este aqui:

rose_graph

Este artigo é sobre a temperatura média global, mas não da superfície da Terra onde vivemos, e sim na camada inferior da atmosfera… não para o mundo inteiro, mas apenas para algumas áreas de terra… e os dados não estão completos, David Rose deixa de fora a parte que, talvez, não quer que você veja. Aqui estão todos os dados desta fonte (RSS, sigla para Remote Sensing Systems [Sistemas de sensoriamento remoto]):

rsstltland_box

David Rose só mostra a parte dentro da caixa vermelha. Quão estúpido David Rose pensa que você é?

Dados como este, na verdade quase todos os dados, são uma combinação de tendências – o padrão de longo prazo que realmente tem alguma persistência – e flutuação – os ‘altos’ e ‘baixos’ de curto prazo que são apenas temporários. E há flutuações. Muitas. Elas vão para cima e para baixo, e para baixo e para cima, mas nunca realmente chegam a lugar algum.

É abundantemente óbvio, sem rodeios, completamente desobstruído, e consideravelmente simples, que, quando se trata do clima, o que importa são as tendências, não as flutuações. Para os negadores do clima, o que é abundantemente óbvio, sem rodeios, e completamente desobstruído é justamente o que eles querem evitar. Porque é tão simples que eles têm que distorcer bastante para tirar o foco dele. Como David Rose fez.

Aqui (mostrada como uma linha vermelha) é a tendência estimada destes dados:

rsstltland_trend

Consegue ver como está ficando mais quente? Claro, ele ainda mostra os altos e baixos, todos os tipos de flutuações, mas a tendência, o que esperamos para persistir, é para cima. É simples de se ver. Quão estúpido David Rose pensa que você é?

David Rose quer que você pense que talvez, apenas talvez, a tendência tenha chegado a um impasse, que estamos no meio de uma “pausa” no aquecimento global. Se estimarmos a tendência usando apenas as coisas que David Rose mostra (deixando de lado o que veio antes, porque isso torna a tendência mais óbvia), a estimativa da tendência é menor, mas ainda é crescente. Mas é realmente menor do que antes?

As estimativas de tendência por métodos matemáticos são apenas isso: Estimativas. Isso significa que elas são incertas. Felizmente, as estatísticas são uma ferramenta poderosa o suficiente que nos permite descobrir o quão incertas elas são. Isso, por sua vez, nos permite definir um “intervalo de confiança”, um intervalo dentro do qual a tendência real é mais provável de ocorrer. Podemos fazer isso com a tendência geral, usando todos os dados, e podemos fazê-lo no curto período de tempo que David Rose mostra. Então podemos comparar seus intervalos de confiança:

Acontece que não há, realmente, nenhuma evidência estatisticamente confiável de que a tendência durante o intervalo escolhido por David Rose seja diferente do que ocorreu durante todo o período de tempo.

David Rose não apenas confia na sua falta de capacidade para fazer esse tipo de cálculo – poucas pessoas conseguem – mas ele também conta com o fato de não ouvir os especialistas que o conseguem. Porque, se fosse assim, você descobriria que o período de tempo escolhido por David Rose não é evidência para nada, exceto que ele pode escolher as horas.

Quão estúpido David Rose pensa que você é?

Mas a sua principal “evidência” não é sobre a tendência, ou mesmo sobre o período de tempo escolhido na notícia que ele mostra (enquanto convenientemente remove os dados que forneceriam algum contexto), é sobre as flutuações. Estas:

rsstltland_rose

Essa extrema elevação deveu-se, em parte, a algo chamado de el Niño. Ela não cria calor do nada, mas aumenta a transferência de calor dos oceanos para a atmosfera. Isso torna a atmosfera mais quente, à custa dos oceanos, e é por isso que um evento el Niño aumenta a temperatura da superfície, especialmente a temperatura atmosférica, sem adicionar mais calor à terra, apenas movendo-a ao redor. Então, sim, este ano o recorde de calor é devido, em parte, ao El Niño.

Mas não inteiramente. Tivemos eventos de El Niño antes, muitas vezes – eles são ocorrências regulares – e eles causam um pico na temperatura global da superfície (especialmente na atmosfera). Mas durante este el Niño em particular, a temperatura atingiu um pico mais alto do que qualquer outro el Niño. David Rose quer que você pense que é porque este El Niño foi mais forte do que os outros, mas isso simplesmente não é verdade. É porque este pico induzido pelo el Niño foi adicionado à um ponto de partida mais quente, uma linha de base mais quente do que as outras. Esta linha de base mais quente veio por causa da tendência de aquecimento – aquela que é devido ao aquecimento global.

O El Niño é uma das causas das flutuações estarem sempre presentes. Mas, em um clima em mudança, a flutuação sozinha não quebra recordes, eles são quebrados quando uma flutuação combina com uma tendência. Isso é o que aconteceu este ano: A flutuação de um el Niño foi adicionada à tendência do aquecimento global, e é por isso que o registro de 2016 é tão extremo. Isso é muito simples, realmente.

Quão estúpido David Rose pensa que você é?

Flutuações sobem, flutuações caem, e cada el Niño é seguido por um declínio. Este ano não é diferente. David simplesmente levantou-se e olhou ao seu redor até encontrar um conjunto de dados com o maior declínio pós-el Niño, depois gritou aos quatro ventos (dentro dos limites do Daily Mail do Reino Unido, na verdade) que isso poderia significar que o calor recorde era apenas por causa do El Niño.

Quão estúpido David Rose pensa que você é?

David Rose escolheu um conjunto de dados (entre dezenas de conjuntos de dados de temperatura global) com o maior declínio pós-el Niño. Ele nem mesmo mostrou todos os dados, apenas escolheu a parte que não mostrou a tendência de aquecimento sendo óbvia. Ele voltou seu foco, não na tendência, mesmo para os dados limitados, mas em um par de flutuações recentes. Ele sugeriu que um extremo, até ser seguido por um declínio extremo, é, de qualquer forma, evidência de que o pico recente é apenas devido ao El Niño, que as emissões humanas não estão envolvidas.

Sério – quão estúpido ele pensa que você é?

CONTINUAR LENDO